Do Sudão do Sul à Somália, muito silêncio sobre a África subsaariana. Artigo de Alex Zanotelli

Mais Lidos

  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • A 'facisfera' católica: jovens sacerdotes ultraconservadores que rezam no YouTube pela morte do Papa Francisco

    LER MAIS
  • A fé que ressurge do secularismo e do vírus. Artigo de Tomáš Halík

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

17 Agosto 2023

"É inaceitável para mim o silêncio sobre a dramática situação no Sudão do Sul (o estado mais jovem da África) enredado em uma terrível guerra civil que já causou pelo menos 300.000 mortes e milhões de pessoas em fuga. É inaceitável o silêncio sobre o Sudão, governado por um regime ditatorial em guerra contra o povo nas montanhas do Cordofão, de Nuba, o povo mártir da África e contra as etnias de Darfur. É inaceitável o silêncio sobre a Somália em guerra civil há mais de trinta anos com milhões de refugiados internos e externos", escreve Alex Zanotelli, padre e missionário comboniano no Sudão e no Quênia, em artigo publicado por Il Fatto Quotidiano, 30-07-2023. A tradução é de Luisa Rabolini.

Eis o artigo.

Vamos quebrar o silêncio sobre a África. Não estou pedindo atos heroicos, mas apenas para tentar fazer com que todos os dias se repasse algumas notícias para ajudar o povo italiano a entender os dramas que tantos povos africanos estão vivendo (…) Considero a maioria das nossas mídias, tanto impressas quanto televisivas, tão provincianas, tão superficiais, tão bem integradas no mercado global.

Eu sei que a mídia de massa, infelizmente, está nas mãos de poderosos grupos econômico-financeiros, de forma que cada um de vocês tem bem poucas possibilidades de escrever o que realmente está acontecendo na África. Eu apelo a vocês, jornalistas, para que tenham coragem de quebrar a conivência sobre o silêncio mediático que pesa especialmente sobre a África.

É inaceitável para mim o silêncio sobre a dramática situação no Sudão do Sul (o estado mais jovem da África) enredado em uma terrível guerra civil que já causou pelo menos 300.000 mortes e milhões de pessoas em fuga.

É inaceitável o silêncio sobre o Sudão, governado por um regime ditatorial em guerra contra o povo nas montanhas do Cordofão, de Nuba, o povo mártir da África e contra as etnias de Darfur.

É inaceitável o silêncio sobre a Somália em guerra civil há mais de trinta anos com milhões de refugiados internos e externos.

É inaceitável o silêncio sobre a Eritreia, governada por um dos regimes mais opressores do mundo, com centenas de milhares de jovens em fuga para a Europa.

É inaceitável o silêncio sobre a África Central, que continua dilacerada por uma guerra civil que parece não ter fim.

É inaceitável o silêncio sobre a grave situação na região do Sahel, do Chade ao Mali, onde poderosos grupos jihadistas poderiam formar um novo califado da África subsaariana.

É inaceitável o silêncio sobre a situação caótica na Líbia, onde está em curso um confronto de todos contra todos, causado por aquela nossa maldita guerra contra Kadafi.

É inaceitável o silêncio sobre o que está acontecendo no coração da África, especialmente no Congo, de onde vêm os nossos minerais mais preciosos. (…)

É inaceitável o silêncio sobre a venda italiana de armas pesadas e leves a esses países, o que só aumenta as guerras cada vez mais ferozes das quais milhões de refugiados são forçados a fugir.

Sem saber de tudo isso, o povo não consegue entender porque tantas pessoas estão fugindo de suas terras arriscando suas vidas. Isso cria a paranoia da "invasão", habilmente alimentada também pelos partidos xenófobos. Isso força os governos europeus a tentar barrar os migrantes.

Mas as pessoas desesperadas da história, ninguém as parará.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Do Sudão do Sul à Somália, muito silêncio sobre a África subsaariana. Artigo de Alex Zanotelli - Instituto Humanitas Unisinos - IHU