Alemanha. Vice-presidente da Conferência Episcopal, liderou mal casos de abuso, diz relatório

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Mais Lidos

  • Lula manda carta a Francisco e mostra seu temor pelo “risco” do segundo turno nas eleições

    LER MAIS
  • A síndrome de Cassandra

    LER MAIS
  • Uso abusivo da religião nas eleições. Artigo de Frei Gilvander Moreira

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


22 Setembro 2022

 

O vice-presidente da conferência episcopal alemã disse que aceita a responsabilidade pelas falhas.

 

A reportagem é de Luke Coppen, publicada por Pillar, 21-09-2022.

 

Um bispo alemão disse na terça-feira que aceitou a responsabilidade pelas falhas destacadas em um estudo provisório sobre o tratamento de casos de abuso por sua diocese. O bispo Franz-Josef Bode reagiu com consternação em 20 de setembro às conclusões de um relatório de 600 páginas abordando alegações de abuso sexual e má conduta desde 1945 na Diocese de Osnabrück.

 

Bode, que dirige a diocese no noroeste da Alemanha desde 1995, disse: “Eu queria este relatório provisório para que a verdade também viesse à tona o mais rápido possível. Agora estou muito preocupado com o quão cegos nós realmente fomos e quão cego eu fui para o sofrimento e as perspectivas das pessoas afetadas.”

 

“Eu sou responsável por isso, também pelo sistema na diocese. Estudarei o texto esta tarde e terei conversas, e discutiremos minuciosamente qual será o caminho a seguir.” Bode é o vice-presidente da Conferência Episcopal Alemã desde 2017 e é um dos quatro membros do comitê executivo que supervisiona o controverso “caminho sinodal” do país.

 

O bispo de 71 anos ganhou atenção internacional por sua defesa de diáconos e bênçãos para casais do mesmo sexo. O relatório provisório é intitulado “Violência sexual contra menores e vulneráveis pelo clero na Diocese de Osnabrück desde 1945”.

 

Foi preparado pela Universidade de Osnabrück e criticou o tratamento das alegações de abuso durante o mandato de Bode e sob a liderança de seus predecessores falecidos, o bispo Helmut Hermann Wittler (que liderou a diocese de 1957 a 1987) e o arcebispo Ludwig Averkamp 1987-a 1994).

 

“Os bispos têm uma responsabilidade individual ao decidir sobre o uso posterior de pessoas acusadas. Os bispos Wittler e Averkamp dificilmente cumpriram essa responsabilidade nos casos investigados e em várias ocasiões permitiram que outros atos fossem cometidos”, disse o estudo.

 

“Nas primeiras décadas de seu mandato, o bispo Bode repetidamente deixou acusados em seus escritórios, mesmo aqueles cujo perigo dificilmente poderia ser questionado, ou os nomeou para cargos que possibilitavam mais oportunidades para cometer crimes, por exemplo. como assistente e administrador paroquial, ou mesmo lhes confiou tarefas de liderança na pastoral juvenil”.

 

O relatório reconheceu que Bode fez um “gesto notável” em 2010, quando se prostrou diante do altar da Catedral de Osnabrück durante um serviço penitencial em reconhecimento ao fracasso da Igreja em combater os abusos.

 

Segundo o relatório o gesto foi “acompanhado de uma promessa de esgotar totalmente a ajuda para as vítimas”, mas “isso não foi implementado na prática administrativa de sua diocese em relação aos afetados”. Bode deve discutir o estudo provisório em uma coletiva de imprensa na quinta-feira.

 

A emissora pública Norddeutscher Rundfunk informou que “os especialistas acreditam que é possível que o bispo de Osnabrück ofereça sua renúncia ao papa”. Várias dioceses alemãs já publicaram extensos relatórios sobre como lidaram com casos históricos de abuso, incluindo a Arquidiocese de Colônia, a Arquidiocese de Munique e Freiburg e a Diocese de Münster.

 

Outras dioceses encomendaram relatórios, como a Diocese de Essen, a Arquidiocese de Friburgo, a Diocese de Mainz, a Diocese de Passau e a Diocese de Trier. O relatório final sobre a Diocese de Osnabrück deverá ser publicado em setembro de 2024. O estudo de três anos foi encomendado pela diocese, que concedeu à Universidade de Osnabrück 1,3 milhão de euros para realizar o projeto.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Alemanha. Vice-presidente da Conferência Episcopal, liderou mal casos de abuso, diz relatório - Instituto Humanitas Unisinos - IHU

##CHILD
picture
ASAV
Fechar

Deixe seu Comentário

profile picture
ASAV