Ortodoxos abençoam tanques russos e soldados ucranianos

Mais Lidos

  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • A 'facisfera' católica: jovens sacerdotes ultraconservadores que rezam no YouTube pela morte do Papa Francisco

    LER MAIS
  • A fé que ressurge do secularismo e do vírus. Artigo de Tomáš Halík

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

25 Fevereiro 2022

 

O posicionamento da Igreja Ortodoxa Russa e da Igreja Ortodoxa Ucraniana é “uma tragédia”, definiu o fundador e comunicólogo da rede de satélite New Life Radio, Daniel Johnson, sediada em Odessa, Ucrânia. A Rádio Cristã da Rússia, uma organização missionária não-denominacional criada em 1996, é a âncora da rede e começou a operar em Moscou, onde ficou até 2019.

 

A reportagem é de Edelberto Behs, jornalista.

 

“Os padres ortodoxos russos estão abençoando os tanques, e os padres ortodoxos ucranianos estão abençoando os soldados para lutarem contra a Rússia. Trata-se de uma cena trágica onde duas religiões irmãs tomaram partido completamente dos objetivos nacionais de seu país”, relatou Johnson em entrevista ao The Christian Post.

 

Em suas transmissões para a Rússia e Ucrânia, a emissora evangélica está pedindo aos cristãos dos dois países que se unam em oração pela paz. “Eles (os líderes ortodoxos dos dois países) não estão agindo como se fossem cidadãos do Reino dos céus. Eles representam, em primeiro lugar, o nacionalismo. E isso não é quem somos como cristãos”, lamentou o comunicador.

 

The Christian Post divulgou resultado de pesquisa universitária da Universidade de Quinniapiac, do vilarejo de Hamden, no Condado de Vinton, Ohio, divulgada no dia 16 de fevereiro, constatando que 57% dos estadunidenses não concordam que os Estado Unidos enviem tropas para a Ucrânia. Mas 54% dos pesquisados apoiam a decisão do presidente Biden de enviar tropas para a Europa Oriental em apoio aos aliados dos Estados Unidos na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

 

“Precisamos ser uma força de oração pela paz entre essas nações e confiar em Deus para determinar o resultado da vida das pessoas na Ucrânia e na Rússia, porque de muitas maneiras trata-se de uma irmandade de nações”, declarou Johnson.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Ortodoxos abençoam tanques russos e soldados ucranianos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU