Papa Francisco em Marselha

Mais Lidos

  • Somos todos aspirantes a cristãos. Entrevista com Paolo Ricca

    LER MAIS
  • “O mundo da educação foi sobrecarregado e perturbado pelo surgimento do ChatGPT”. Discurso do cardeal José Tolentino de Mendonça

    LER MAIS
  • O “Filioque” e a história. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

19 Setembro 2023

“O Papa não vem aqui porque olhamos para ele, mas porque junto com ele olhamos para o Mediterrâneo”.

A reportagem é de Anne-Bénédicte Hoffner, publicada por La Croix International, 18-09-2023.

Desde que Francisco aceitou o seu convite para ir a Marselha, o cardeal Jean-Marc Aveline continua repeti-lo aos seus visitantes: o evento não é a visita do Papa na sexta e no sábado, mas os Encontros de Mediterrâneo, que reúne durante toda a semana 70 bispos e 70 jovens de todas as religiões e que eles terminarão com o Papa no fim de semana.

Desde a sua primeira visita a Lampedusa, no dia seguinte à sua eleição, o papa argentino continuou aprimorar o conhecimento e a compreensão do espaço mediterrâneo. A ponto de ser fascinado, dizem alguns. Ou, mais provavelmente, para medir o seu significado “existencial” para o nosso mundo atual; o de um espaço geograficamente restrito e culturalmente coerente que se encontra enfrentam desafios temíveis e cujos habitantes não têm outra escolha – a não ser destruir-se mutuamente – do que arregaçar as mangas, juntos.

Iniciados na Itália, os Encontros do Mediterrâneo chegam a Marselha à espera de serem realizados um dia em Beirute ou em Argel, espera o Cardeal Aveline. Marselha como porta de entrada para o Mediterrâneo.

Marselha como síntese da riqueza e da pobreza da região. Marselha, onde La Croix transferiu parte da sua equipa editorial durante toda a semana, com o desejo de permitir aos seus leitores desfrutar um pouco deste sabor mediterrânico tão querido ao Papa.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa Francisco em Marselha - Instituto Humanitas Unisinos - IHU