Resgates e denúncias de trabalho escravo batem recordes no RS desde 2021

Mais Lidos

  • Seca no Amazonas deixa cidades isoladas e com escassez de alimento

    LER MAIS
  • A Nova Maioria Global. Boletim de Conjuntura do Observatório Internacional do Século XXI

    LER MAIS
  • O acesso à “Comida de verdade” e o combate à pobreza do campo à cidade. Artigo de Denise De Sordi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

02 Março 2023

É apenas março e 2023 já tem um novo recorde de trabalhadores resgatados em situação análoga à escravidão no Rio Grande do Sul. Sozinho, o caso de Bento Gonçalves, revelado na semana passada, foi responsável pela marca. O total de 208 pessoas resgatadas é quase a soma de resgates efetuados nos dois anos anteriores, os maiores até então.

A informação é publicada por Matinal, 02-03-2023.

Os dados do Ministério do Trabalho e Emprego foram compilados por GZH. Para o auditor-fiscal do trabalho Henrique Mandagará, a alta de casos nos últimos anos é uma resposta da sociedade à maior divulgação desses episódios. Ele citou um caso de uma idosa baiana em 2020, que teve grande repercussão nacional, como catalisador de novas denúncias. Ano passado, após o sucesso do podcast A Mulher da Casa Abandonada, efeito semelhante havia sido percebido pelo Ministério Público do Trabalho.

Quarto lugar no ranking nacional em número de trabalhadores resgatados e o 10º lugar em número de ações de combate realizadas, o RS vê a quantidade de denúncias crescer nos últimos anos. A serra concentra o maior número de municípios com autos de infração lavrados entre 2015 e 2022, ainda que o maior volume de irregularidades seja em Venâncio Aires, com 68.

Neste cenário, a Assembleia Legislativa aprovou a criação de um comitê interinstitucional que terá quatro meses para apurar todas as denúncias que chegarem à Comissão de Cidadania e Direitos Humanos.

Ontem, em Bento, a prefeitura interditou um alojamento onde vivem 25 trabalhadores baianos que atuam no ramo avícola. O grupo, que está na cidade desde dezembro, ainda não teria recebido salários. Ainda sobre o caso das vinícolas da serra, as empresas envolvidas receberam prazo de dez dias do MPT para apresentarem documentos como contratos de prestação de serviços, atos constitutivos, notas fiscais, entre outros.

Acompanhe algumas reações sobre o assunto no Twitter

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Resgates e denúncias de trabalho escravo batem recordes no RS desde 2021 - Instituto Humanitas Unisinos - IHU