Nicarágua. O grito indignado dos padres nicaraguenses ao regime de Ortega: “Pare de incomodar nossas vidas, liberte o bispo”

Mais Lidos

  • O Novo Ensino Médio e as novas desigualdades. Artigo de Roberto Rafael Dias da Silva

    LER MAIS
  • “Um Netanyahu em plena fuga para a frente vai responder ao Irã, e apenas os EUA podem evitar o pior”

    LER MAIS
  • Elon Musk e o “fardo do nerd branco”

    LER MAIS

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

25 Agosto 2022

 

Os sacerdotes agradecem ao Papa "a proximidade, a dor e a preocupação" em sua carta.

 

  • "Pare de incomodar nossas vidas, vamos trabalhar em paz, liberte o bispo, os padres e os leigos e o Senhor terá misericórdia de você se você se converter de coração", pedem os padres ao presidente e vice-presidente da Nicarágua, o casal Ortega Murillo.

 

  • "Fazem o que querem com as leis, manipulam-nas, criam-nas por decreto para prender cidadãos e lembrem-se: ninguém deve estar acima da Constituição Política da República".

 

  • “Nos sentimos fortalecidos pela proximidade, dor e preocupação de nosso Papa Francisco, pelos sofrimentos da Igreja nicaraguense. Sabemos que estamos sempre presentes em suas orações”.

 

A reportagem é publicada por Religión Digital, 24-08-2022.

 

"Pare de incomodar nossas vidas, vamos trabalhar em paz, liberte o bispo, os padres e os leigos e o Senhor terá misericórdia de você se você se converter de coração".

 

É o grito de indignação que, em forma de carta, o clero diocesano da diocese nicaraguense de Estelí enviou a Daniel Ortega e Rosario Murillo no qual pedem a libertação imediata do bispo de Matagalpa, Rolando Álvarez, e dos sacerdotes e leigos detidos no passado 19 de agosto e no qual também culpam o casamento que rege os destinos do país centro-americano por incitar o ódio e a violência contra a Igreja desde 2018, grito ao qual o auxiliar de Manágua, Silvio Báez, exilado, também se juntou ao Twitter desde 2019.

 

 

De acordo com a carta dos padres, Ortega acusa os bispos e padres de serem "golpistas" por ajudarem os feridos e protegerem vidas durante os confrontos daquele ano. “Eles nos acusam de bloqueios quando sabem muito bem que o que fizemos foi mediação, evitando mortes desnecessárias, socorrendo os feridos e protegendo a vida dos irmãos nicaraguenses. Desde então eles injetaram ódio e, graças a Deus, nosso povo é nobre e não se deixa enganar e toda essa campanha de difamação não penetrou nos corações e mentes de nossa gente boa que respeita sua fé cristã, seus servos os bispos e sacerdotes.

 

 

Ressaltam que suportam com "amor e paciência" as acusações infundadas por sua missão pastoral pacífica e lembram a Ortega que na Nicarágua não houve "golpe de Estado" porque são executados pelo Exército, e "aqui o Exército não deu golpe a ninguém. Isso existe apenas em sua mente. O que aconteceu aqui em 2018 foi um protesto popular ”, segundo o portal 100%Noticias.

 

Lamentam também que Ortega repita os erros do passado, superando inclusive aquelas barbaridades, pelas quais os sacerdotes o convocam a se converter. “O Senhor lhes deu a oportunidade de assumir novamente o governo e não repetir os erros de sua primeira administração, mas eles não apenas os repetiram, como os superaram, é realmente lamentável”.

 

"Eles fazem o que querem com as leis"

 

Na carta, o clero destaca que o regime de Ortega Murillo é o que causa ansiedade e desordem no país. “Eles fazem o que querem com as leis, manipulam-nas, criam-nas por decreto para prender cidadãos e lembrem-se: ninguém deve estar acima da Constituição Política da República, o que se faz é promover a desordem e a ansiedade neste longo país sofredor”.

 

Ao final, garantem que continuarão orando para que todas as barbaridades contra a igreja nicaraguense sejam corrigidas. “ Sentimo-nos fortalecidos pela proximidade, dor e preocupação do nosso Papa Francisco, pelos sofrimentos da Igreja nicaraguense. Sabemos que estamos sempre presentes em suas orações”, acrescenta 100%Noticias.

 

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Nicarágua. O grito indignado dos padres nicaraguenses ao regime de Ortega: “Pare de incomodar nossas vidas, liberte o bispo” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU