O Vaticano sentencia: não se pode ser católico e maçom

Mais Lidos

  • Genocídio Yanomami em debate no IHU. Quanta vontade política existe para pôr fim à agonia do povo Yanomami? Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS
  • A campanha da Fraternidade 2024. Fraternidade e Amizade Social. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • A primeira pergunta de Deus ao homem foi “Onde você está?”. O Artigo é de Enzo Bianchi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

16 Novembro 2023

  • Na nova linha de trabalho estabelecida pelo cardeal Fernández, na qual as respostas a dúvidas ou questões fundamentais são tornadas públicas para incentivar a transparência e a comunhão entre todos os fiéis, a Santa Sé responde de maneira muito clara: aos católicos ainda é proibido se unir à maçonaria.

  • "Aqueles que formal e conscientemente são membros de lojas maçônicas e abraçaram os princípios maçônicos estão incluídos nas disposições presentes na mencionada Declaração. Essas medidas também se aplicam a qualquer eclesiástico registrado na maçonaria".

A reportagem é de Jesús Bastante, publicada por Religión Digital, 15-11-2023.

Desde o início de seu pontificado, alguns grupos (próximos à direita trumpista e suas extensões eclesiásticas – leia-se Strickland, Viganò e companhia) têm insinuado a ideia da proximidade de Jorge Mario Bergoglio à maçonaria. Uma acusação que surge, curiosamente, ou talvez não tanto, de setores vinculados a sociedades secretas.

Nesse contexto, destaca-se a resposta que a Congregação para a Doutrina da Fé acabou de dar à petição de Julito Cortés, bispo de Dumaguete, nas Filipinas, preocupado com o "contínuo aumento de fiéis na maçonaria", que pediu "sugestões para enfrentar adequadamente essa realidade do ponto de vista pastoral, levando em consideração também as implicações doutrinárias".

Na nova linha de trabalho estabelecida pelo cardeal Fernández, na qual as respostas a dúvidas ou questões fundamentais são tornadas públicas para incentivar a transparência e a comunhão entre todos os fiéis, a Santa Sé responde de maneira muito clara: aos católicos ainda é proibido se unir à maçonaria.

Doutrina católica e maçonaria, irreconciliáveis

Na resposta, reitera-se que "a pertença ativa de um fiel à maçonaria é proibida", destacando a "irreconciliabilidade entre a doutrina católica e a maçonaria", como já afirmava em 1983 a mesma Congregação para a Doutrina da Fé e as mesmas diretrizes publicadas pela Conferência Episcopal em 2003.

Portanto, aponta a nota, "aqueles que formal e conscientemente são membros de lojas maçônicas e abraçaram os princípios maçônicos estão incluídos nas disposições presentes na mencionada Declaração. Essas medidas também se aplicam a qualquer eclesiástico registrado na maçonaria".

Isso, do ponto de vista doutrinário. Focando no pastoral, a Doutrina da Fé sugere aos bispos filipinos "realizar uma catequese popular em todas as paróquias, sobre as razões da incompatibilidade entre a fé católica e a maçonaria", e convida o episcopado do país a se pronunciar publicamente sobre o tema.

A posição da Doutrina da Fé não é nova. Já dizia algo semelhante em 1983 (com um documento assinado pelo então cardeal Ratzinger e referendado por João Paulo II), lembrando como o atual Código de Direito Canônico, ao contrário do anterior (1917), não condena explicitamente a maçonaria, nem excomunga seus afiliados, embora reitere que "os católicos inscritos em lojas maçônicas estão em estado de pecado grave".

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O Vaticano sentencia: não se pode ser católico e maçom - Instituto Humanitas Unisinos - IHU