Inundações na Líbia: Vigário apostólico de Trípoli: “falam de 3.000 mortes, mas os números serão muito maiores. Corpos de migrantes também encontrados"

Mais Lidos

  • Influenciadores ou evangelizadores digitais católicos? Artigo de Dom Joaquim Mol

    LER MAIS
  • Para onde estamos indo? Artigo de Leonardo Boff

    LER MAIS
  • Os equilíbrios de Lula no Brasil pós-Bolsonaro. Artigo de Bernardo Gutiérrez

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

13 Setembro 2023

“Aqui em Trípoli a situação é calma e não há problemas. Neste momento dizem que há cerca de 3.000 mortes mas os números serão certamente muito superiores. Corpos de migrantes também foram encontrados”. Falando ao SIR está D. George Bugeja, vigário apostólico de Trípoli, Líbia, a respeito das inundações devastadoras que atingiram a Cirenaica, região nordeste do país, após a passagem do ciclone Daniel.

Na Tripolitânia, região noroeste onde está localizada a capital Líbia, o tempo tem estado bom até agora: “Espera-se um pouco de chuva, mas não parece que haverá problemas – afirma o bispo. A catástrofe atingiu particularmente Derna, na Cirenaica, devido a duas barragens que não resistiram e romperam muros e aterros, com a consequência de que a água acumulada no seu interior saiu repentinamente, com lama e escombros que destruíram casas e estradas e levaram tudo para o mar."  Derna é uma cidade costeira, a quarta maior do país, com 120 mil habitantes. O rompimento das duas barragens liberou 33 milhões de metros cúbicos de água, destruindo centenas de casas e cinco bairros residenciais. O acesso a estas áreas foi difícil e as equipes de resgate e os cidadãos tiveram que retirar centenas de vítimas dos escombros com as próprias mãos.

A reportagem é publicada por SIR, 12-09-2023.

D. Bugeja expressa palavras de proximidade e solidariedade às populações afetadas: “Eles estão todos em nossas orações. Que o Senhor da Misericórdia dê alívio aos feridos e aos que perderam entes queridos e apoie os socorristas na ajuda e assistência de emergência”.

Enquanto isso, a Cruz Vermelha Internacional fala em pelo menos 10 mil desaparecidos. Mais de 2.300 mortes confirmadas pelos serviços de emergência líbios. Muitos foram enterrados em valas comuns no cemitério de Martouba, a cerca de vinte quilômetros de Derna. As autoridades na Cirenaica e na Tripolitânia, que partilham o poder executivo, pediram ajuda humanitária à comunidade internacional, incluindo maquinaria pesada, material médico e alimentos. A Turquia, que apoia o governo de Benghazi (Cirenaica), enviou três aviões com pessoal de busca e salvamento subaquático e assistência logística. A Itália ativou a Proteção Civil, mas não há ONG italianas presentes na região.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Inundações na Líbia: Vigário apostólico de Trípoli: “falam de 3.000 mortes, mas os números serão muito maiores. Corpos de migrantes também encontrados" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU