Patriarca Kirill, o coroinha do Putin

Mais Lidos

  • A 'facisfera' católica: jovens sacerdotes ultraconservadores que rezam no YouTube pela morte do Papa Francisco

    LER MAIS
  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • A fé que ressurge do secularismo e do vírus. Artigo de Tomáš Halík

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

06 Mai 2022

 

Papa Francisco afirma que Patriarca Kirill não pode ser um coroinha de Putin. Comissão Europeia sanciona o chefe da Igreja Ortodoxa Russa como faz com os oligarcas.

 

A reportagem é de Anne-Bénédicte Hoffner, editora-chefe do jornal La Croix, 05-05-2022. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

 

Com sua característica franqueza, o Papa Francisco descreveu perfeitamente o encontro por Zoom com o Patriarca Kirill de Moscou de 16 de março, três semanas depois de começar as hostilidades na Ucrânia.

 

“Os primeiros vinte minutos, com um papel me suas mãos, ele leu para mim todas as justificativas para a guerra. Eu o escutei e disse, ‘eu não entendo nada disso’”, contou o papa em uma entrevista publicada na terça-feira no jornal italiano Corriere della Sera.

 

“Irmão, nós não somos clérigos do estado, nós não podemos usar as linguagens da política, mas devemos usar a linguagem de Jesus”, repreendeu-o Francisco.

 

“O patriarca não pode se tornar um coroinha do Putin”, falou ao jornalista que o entrevistava.

 

A Comissão Europeia compartilha da convicção do papa. Como a sexta de uma série de medidas em resposta à guerra na Ucrânia, propôs sancionar o chefe da Igreja Ortodoxa Russa, como o fez a muitos oligarcas e líderes militares.

 

O Patriarca Kirill, “um aliado de muito tempo do presidente Vladimir Putin, tornou-se um dos apoiadores principais das agressões militares da Rússia contra a Ucrânia”, destacou o documento da Comissão.

 

Os limites entre a política e religião é um debate tão velho quanto o cristianismo – ou mais, cristandade – e atravessa as Igrejas.

 

Mas para o Papa Francisco, a causa é clara.

 

“Cristandade não existe mais!”, disse ele durante sua mensagem de Natal 2019 à Cúria Romana em 2019.

 

Não há dúvidas que as comunicações com o Patriarca de Moscou e toda a Rússia nessa questão particular é muito pobre.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Patriarca Kirill, o coroinha do Putin - Instituto Humanitas Unisinos - IHU