G20 não destrava discussões sobre financiamento e energia fóssil para COP28

Mais Lidos

  • Católicos cínicos e a negatividade em relação ao Papa Francisco. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Influenciadores ou evangelizadores digitais católicos? Artigo de Dom Joaquim Mol

    LER MAIS
  • Campanha da Fraternidade 2024: Fraternidade e Amizade Social. Artigo de José Geraldo de Sousa Junior e Ana Paula Daltoé Inglêz Barbalho

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

13 Setembro 2023

O documento final do G20 não mostrou os caminhos para avançar com a ampliação do financiamento climático e o fim da queima de combustíveis fósseis.

A reportagem é publicada por ClimaInfo, 12-09-2023.

Missing in action. É assim que o Financial Times classificou o resultado final da cúpula de Nova Déli (Índia) do G20, grupo das 20 maiores economias do mundo, ao menos no que diz respeito à questão climática. Mesmo com um acordo para triplicar a capacidade de geração de energia renovável até 2030, os países se abstiveram de tomar qualquer decisão sobre temas cruciais na agenda de negociação da COP28, como o financiamento climático e o fim do uso de combustíveis fósseis.

A omissão aconteceu dias após a ONU apresentar o importante relatório de Global Stocktake (balanço global) sobre a situação da ação climática global e as perspectivas, a partir dos compromissos atuais, para cumprimento dos objetivos do Acordo de Paris. O documento final do G20, por exemplo, não incluiu qualquer referência à eliminação progressiva de petróleo e gás, a despeito do mundo caminhar para um aquecimento superior a 2ºC em relação aos níveis pré-industriais.

De toda forma, como destacou o Climate Home, o compromisso sobre energia renovável foi uma surpresa positiva. Isso porque, antes da cúpula, a expectativa de um entendimento dos países em torno do tema era muito baixa. Em julho, na reunião dos ministros de energia do G20, os governos da Arábia Saudita, China e Rússia barraram um acordo nesse sentido. O impasse foi superado apenas na cúpula, com os chefes de governo.

Ainda assim, a dificuldade dos países em avançar no financiamento climático e no fim dos combustíveis fósseis antecipa problemas para a COP28, como assinalou a Bloomberg. A Conferência de Dubai também terá outros pontos espinhosos em sua agenda, como a revisão cíclica dos compromissos nacionais de mitigação para 2025, e o fundo de compensação para perdas e danos.

Associated Press e Axios também abordaram os resultados finais do G20 e as perspectivas para as negociações climáticas na COP28.

Em tempo: O quadro apresentado pelo Global Stocktake coloca os países em uma encruzilhada: ou os países reconhecem a gravidade do problema climático e começam a tomar ações já nesta COP28 para resolvê-lo, especialmente no financiamento climático, ou o processo multilateral ficará desmoralizado. No Valor, Daniela Chiaretti argumentou que “cada vez fica mais claro que só um Plano Marshall [plano de reconstrução da Europa pós-Segunda Guerra Mundial] verde sem precedentes pode tirar a humanidade de um cenário de colapso climático em cadeia”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

G20 não destrava discussões sobre financiamento e energia fóssil para COP28 - Instituto Humanitas Unisinos - IHU