Bätzing: “Os quase dez anos de Francisco são um golpe de sorte para a Igreja Católica”

Mais Lidos

  • A 'facisfera' católica: jovens sacerdotes ultraconservadores que rezam no YouTube pela morte do Papa Francisco

    LER MAIS
  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • A fé que ressurge do secularismo e do vírus. Artigo de Tomáš Halík

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

23 Dezembro 2022

 

  • "Francisco vê que a Igreja só sobreviverá se todos forem ouvidos. Não poderemos mais ficar para trás. Mas ainda há muito o que melhorar quando se trata de processos decisórios transparentes que envolvem muitos." ele diz.

  • Uma das questões que agora preocupa o Bispo de Limburg é “uma possível ordenação sacerdotal de homens casados, os chamados viri probati. Recentemente ordenei diáconos casados ​​e interiormente me perguntei: por que não podem ser sacerdotes?”.

  • “Calculamos que agora provavelmente estamos economizando 6.000 toneladas de CO2 na Diocese”, reconhece Bätzing ao analisar as medidas que tiveram que tomar devido ao aumento dos preços do aquecimento devido à invasão russa da Ucrânia.

A reportagem é de José Lorenzo, publicada por Religión Digital, 22-12-2022.

O bispo de Limburg, George Bätzing, 61, passou por um período difícil na Igreja da Alemanha para ser o presidente de seu episcopado. Com uma sangria de baixas pelo escândalo dos abusos sexuais, com uma credibilidade a nível social no terreno, com um nível de crítica interna muito forte, sobretudo entre leigos e religiosos, com um debate não menos intenso que procura reformas através do Caminho Sinodal, que gera muitas suspeitas em Roma, este pároco, longe de se esconder no silêncio, não se esquiva de entrevistas nem oferece sua visão -dolorosa, sim- do momento transcendental que vive a instituição eclesial no país. Isso é o que você acabou de fazer no portal Katholisch.

Questionado se vê o Papa Francisco mais como um reformador ou como um freio às reformas, Bätzing é claro: “O Papa é claramente um reformador. Os quase dez anos de Francisco são um golpe de sorte para a Igreja Católica, não só pela sua própria credibilidade na vida e no anúncio, mas também pelos caminhos que abre. Embora às vezes ele nos confronte criticamente na Alemanha. Ele vê: A Igreja só sobreviverá se todos forem ouvidos. Não podemos mais ficar para trás. Mas ainda há muito espaço para melhorias quando se trata de processos transparentes de tomada de decisão que envolvem muitos.”

"vontade de mudar"

O bispo de Limburg reconhece o atual descontentamento que existe entre muitos católicos alemães e afirma ter lido atentamente o relatório da Fundação Bertelsmann, que afirma que um em cada quatro membros da Igreja na Alemanha pensa em deixá-la. “Para mim -diz o pároco- é importante que as pessoas percebam nossa vontade de mudança. Claro, isso não é suficiente para trazer as pessoas de volta em massa. Frequentemente, esses são processos de alienação que se desenvolveram ao longo de anos ou décadas. Temos que dialogar com as pessoas e perguntar: O que elas precisam de nós? Desta forma, pode acontecer que voltes a reconhecer mais claramente a como opção para a tua vida e a ligá-la à Igreja”.

“Atualmente – acrescenta – estou mais preocupado com a questão de uma possível ordenação sacerdotal de homens casados, os chamados viri probati. Recentemente, ordenei diáconos casados ​​e me perguntei interiormente: por que eles não podem ser padres? .

Quanto ao motivo pelo qual as gerações anteriores de bispos olhavam para o outro lado quando se tratava de abusos, o presidente dos bispos observa que “obviamente, a máxima era: você deve proteger a instituição a todo custo. O sofrimento das vítimas simplesmente não foi visto, não foi levado em consideração, até porque não houve contato direto com os atingidos. E os afetados muitas vezes não estavam dispostos a se levantar, eles não tinham voz. Graças a Deus isso mudou, e isso muda a todos nós."

Frio nas igrejas, mas menos poluição

O bispo alemão também falou sobre o impacto da crise energética provocada pela invasão russa da Ucrânia no aumento dos preços, em um país, aliás, fortemente dependente do gás russo. Nesse sentido, diz que o conjunto de medidas implementadas surtiu efeito e ajudou a reduzir custos. Por exemplo, ao baixar a temperatura cerca de 6 ou 7 graus; suspender algumas negociações; mude sua celebração para outros locais menos frios…

Na sua diocese, estas medidas, como também garante, significaram uma poupança real, “ao nível das emissões de CO2. Calculamos que agora provavelmente estamos economizando 6.000 toneladas de CO2 na Diocese”.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bätzing: “Os quase dez anos de Francisco são um golpe de sorte para a Igreja Católica” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU