Ortodoxos ucranianos pedem a Bartolomeu que retire de Kirill o título de Patriarca de Moscou

Mais Lidos

  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • Garimpo e barbárie: uma história de genocídio e de luta dos Yanomami. Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS
  • Fogo atinge floresta da TI Yanomami e Hutukara pede providências

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

26 Mai 2022

 

  • Por quê? Pela "propagação da heresia da doutrina etno-racial baseada na ideologia do "mundo russo", bem como pela provocação de um cisma na Igreja"
  • O Papa reza para que “o Espírito Santo nos renove e nos fortaleça no ministério do Evangelho, especialmente em nossos esforços para proteger o valor e a dignidade de toda a vida humana”. 
  • Patriarca Bartolomeu lamenta que Kirill "não esteja à altura deste momento crítico e histórico".

 

A reportagem é de Jesús Bastante, publicada por Religión Digital, 25-05-2022.

 

Dia do nome de Cyril, festa de Kirill de Moscou. Um feriado controverso, que foi manchado pela invasão russa e que foi respondido por vários líderes religiosos. Assim, embora o Papa Francisco o tenha felicitado, o Conselho dos Bispos da Igreja da Ucrânia decidiu suspender a comemoração, enquanto apelava ao Patriarca Ecumênico de Constantinopla e ao resto dos Primazes para privar Kirill de seu trono.

 

Por que razão? Pela " propagação da heresia da doutrina etno-racial baseada na ideologia do "mundo russo", bem como pela provocação de um cisma na Igreja", destacam os ortodoxos ucranianos, que acusam o Patriarca de Moscou de "interferir nos assuntos internos da Ucrânia".

 

"A Igreja da Rússia nos decepcionou"

 

Por sua parte, Bartolomeu sublinhou, em entrevista à ERT1, que "seria possível que todas as Igrejas condenassem a violência, a guerra. Mas a Igreja da Rússia nos decepcionou. Ele não esperava que a Igreja da Rússia e o irmão Patriarca Kirill seriam esta trágica exceção.

 

 

Patriarca Bartolomeu I de Constantinopla. (Foto: Reprodução | Vatican News)

 

 

"Não sei como ele poderá se justificar em sua consciência. Como ele vai justificar isso, como a história o julgará", disse o patriarca de Constantinopla, que insiste que Kirill "deveria reagir à invasão da Ucrânia e condenar a guerra como todos os outros primazes ortodoxos fizeram.

 

"Não o fez, o que o magoa e lamento muito. Podemos ter tido outras diferenças, a conhecida pela autocefalia da Igreja ucraniana, a que temos há séculos porque a Igreja russa cobiça o primado de Constantinopla, e mina os alicerces do trono de Constantinopla, mas esperava que o irmão Cirilo neste momento crítico e histórico se colocasse à altura ”, denunciou Bartolomeu.

 

 

Patriarca Kirill de Moscou e Papa Francisco, em encontro realizado em Havana (Cuba). (Foto: Reprodução | Vatican News)

 

 

Mensagem papal

 

Finalmente, o Papa Francisco enviou uma mensagem ao patriarca por ocasião da festa de Cirilo. Na carta, Bergoglio reza para que “o Espírito Santo nos renove e nos fortaleça no ministério do Evangelho, especialmente em nossos esforços para proteger o valor e a dignidade de toda a vida humana”.

 

Francisco destaca a festa de São Cirilo, "o grande apóstolo dos eslavos", dirigindo suas saudações e orações ao Patriarca de Moscou e à "Igreja confiada aos seus cuidados pastorais".

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Ortodoxos ucranianos pedem a Bartolomeu que retire de Kirill o título de Patriarca de Moscou - Instituto Humanitas Unisinos - IHU