Relatório Munique sobre abusos: cardeal Marx, “Estou chocado e envergonhado, ulteriores passos são necessários em direção ao futuro”

Mais Lidos

  • Atividade, no formato live, será na terça, 05-03, a partir das 10h

    Influenciadores digitais católicos em debate no IHU

    LER MAIS
  • A identidade de católico, o Papa e o cristianismo de libertação versus a direita. Artigo de Jung Mo Sung

    LER MAIS
  • Francisco: pedi para realizar estudos sobre a ideologia de gênero, o perigo mais feio hoje

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

21 Janeiro 2022

 

"Meus primeiros pensamentos hoje vão para aqueles que foram atingidos por abusos sexuais, que experimentaram malícia e sofrimento por meio de representantes da Igreja, sacerdotes e outros funcionários da Igreja, em um grau assustador. Estou chocado e envergonhado”. Assim se manifestou o cardeal Reinhard Marx, arcebispo de Munique e Freising, em seu discurso sobre o Relatório sobre os abusos cometidos por membros do clero em sua diocese.

 

A reportagem é publicada por Agência SIR, 20-01-2022. A tradução é de Luisa Rabolini.

 

“Como tenho repetido várias vezes, como arcebispo de Munique e Freising, sinto-me corresponsável pela instituição da Igreja nas últimas décadas”, continua o cardeal, segundo informa o site da diocese: “Como atual arcebispo, peço desculpas em nome da arquidiocese pelo sofrimento infligido às pessoas na área da Igreja nas últimas décadas. Sabemos há anos que os abusos sexuais não foram levados a sério na Igreja, que os perpetradores muitas vezes não foram adequadamente responsabilizados, que houve um afastamento dos responsáveis. Justamente por isso, desde a primeira perícia que encomendamos em 2010, encomendamos o relatório apresentado hoje ao escritório de advocacia WSW. É um elemento importante e indispensável para enfrentar os casos de abusos sexuais em nossa arquidiocese e também para a Igreja como um todo”.

"Desde 2010, muito foi mudado e implementado na arquidiocese, e estamos longe de terminar", o balanço do cardeal: "Aconselharemos e implementaremos novas mudanças com base nas recomendações deste relatório". “Espero vivamente que na próxima quinta-feira possamos mostrar as primeiras perspectivas e traçar o caminho a seguir”, anuncia Marx, segundo quem “chegou a hora de seguir os impulsos transmitidos pelo relatório e realizar ulteriores passos para o futuro. A crise dos abusos é e continua sendo um choque profundo para a Igreja e a reavaliação e o caminho a seguir incluem a orientação para as vítimas dos abusos, a reavaliação de falsas estruturas e atitudes de poder. Mas é mais que isso, trata-se de uma questão de renovação da Igreja, trata-se do que estamos também buscando e promovendo no Caminho Sinodal na Alemanha. Porque este Caminho Sinodal foi baseado no estudo do MHG e nas suas análises”.

“Chegar a um compromisso com os abusos sexuais não pode ser separado do caminho de mudança, renovação e reforma da Igreja”, conclui o cardeal, assegurando que “a perspectiva das pessoas atingidas está agora no centro das atenções para nós na arquidiocese de Munique e Freising, também para efetuar passos em direção ao futuro”.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Relatório Munique sobre abusos: cardeal Marx, “Estou chocado e envergonhado, ulteriores passos são necessários em direção ao futuro” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU