George Pell voltará na terça-feira a Roma, em meio ao “escândalo Becciu”

Mais Lidos

  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • A 'facisfera' católica: jovens sacerdotes ultraconservadores que rezam no YouTube pela morte do Papa Francisco

    LER MAIS
  • Garimpo e barbárie: uma história de genocídio e de luta dos Yanomami. Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

28 Setembro 2020

O cardeal George Pell havia abandonado o Vaticano para ser julgado por abusos a menores na Austrália.

A informação é de Jesús Bastante, publicada por Religión Digital, 28-09-2020. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

Foi o responsável máximo das finanças vaticanas. Caído em desgraça pelas acusações de abuso sexual, que o levaram a ser o máximo hierarca da Igreja Católica no mundo condenado – e depois absolvido – por pedofilia, George Pell volta nesta terça para Roma. Justamente depois da explosão do “escândalo Becciu”. Coincidência? Não parece.

E é porque, segundo distintas fontes vaticanas, aquele que foi substituto da Secretaria de Estado do Vaticano entre 2011 e 2018 pode ser um dos grandes responsáveis da defenestração de Pell (e do espanhol Vallejo Balda). Agora, livre na Austrália e sem um de seus principais “inimigos” na Cúria, o australiano decide voltar a uma Santa Sé onde, por outro lado, não terá nenhuma responsabilidade executiva.

Um presente envenenado para Francisco? Ninguém saberia dizer, sobretudo depois da mensagem enigmática enviada por Pell depois do anúncio do castigo a Becciu, que foi obrigado a renunciar a seu cargo como prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, e seus direitos como cardeal:

“O Santo Padre foi eleito para limpar as finanças do Vaticano. Ele disputa uma longa partida e é preciso agradecê-lo e felicitá-lo pelos acontecimentos recentes. Espero que a limpeza dos estábulos continue tanto no Vaticano quanto em Victoria”, escreveu.

O certo é que os enfrentamentos entre Pell e Becciu foram uma constante durante os anos do purpurado à frente da Secretaria de Economia, que esteve vacante durante dois anos e que desde este mês de janeiro dirige o jesuíta espanhol Juan Antonio Guerrero. A volta de Pell não agoura um período de paz. Esperamos que não seja um entrave nas reformas de Francisco.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

George Pell voltará na terça-feira a Roma, em meio ao “escândalo Becciu” - Instituto Humanitas Unisinos - IHU