O Papa viajará, em novembro, para a Birmânia e Bangladesh

Mais Lidos

  • “O mundo da educação foi sobrecarregado e perturbado pelo surgimento do ChatGPT”. Discurso do cardeal José Tolentino de Mendonça

    LER MAIS
  • O “Filioque” e a história. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • Genocídio Yanomami em debate no IHU. Quanta vontade política existe para pôr fim à agonia do povo Yanomami? Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

28 Julho 2017

O Papa Francisco viajará, no final de novembro, a Bangladesh e Birmânia, numa nova viagem ao continente asiático que, ao contrário do que se esperava, não incluirá a Índia. A data da visita ainda não foi fixada, já que foi descartada a desejada viagem ao Sudão do Sul.

A informação é publicada por Religión Digital e Agencia Télam, 27-07-2017.

A data de final de novembro será, finalmente, escolhida pelo Papa Francisco para sua terceira viagem asiática, depois das viagens para a Coreia do Sul e Filipinas. Antes, de 6 a 11 de setembro, Bergoglio visitará Colômbia. Posteriormente, em janeiro, o Papa voltará para a América do Sul visitando Chile e Peru.

Em outubro do ano passado, voltando da Geórgia e do Azerbaijão, o Papa manifestara o desejo de visitar “Índia e Bangladesh”, juntamente com a viagem, já realizada, a Fátima e a prevista, e depois adiada, viagem ao Sudão do Sul.

Apesar das dificuldades, o arcebispo de Canterbury, Justin Welby, viajará, neste final de semana, para o Sudão do Sul.

A viagem para a Índia foi transferida, provavelmente, para o próximo ano, e em seu lugar, entrou a Birmânia.

Em Bangladesh, um dos países mais povoados do mundo com 163 milhões de habitantes, os católicos representam pouco mais de 0,3% da população, enquanto que os 90% são muçulmanos.

Na Birmânia, no entanto, a grande maioria da população pratica o budismo, enquanto que menos de 5% são cristãos e uma igual porcentagem são muçulmanos.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O Papa viajará, em novembro, para a Birmânia e Bangladesh - Instituto Humanitas Unisinos - IHU