Aquecimento global aumenta megaincêndios no permafrost

Mais Lidos

  • O Novo Ensino Médio e as novas desigualdades. Artigo de Roberto Rafael Dias da Silva

    LER MAIS
  • “Um Netanyahu em plena fuga para a frente vai responder ao Irã, e apenas os EUA podem evitar o pior”

    LER MAIS
  • Elon Musk e o “fardo do nerd branco”

    LER MAIS

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

05 Novembro 2022

O aquecimento global está exacerbando as condições que causam incêndios florestais em muitas regiões, incluindo o Ártico, onde extensas turfeiras contêm grandes quantidades de carbono.

A reportagem é publicada por EcoDebate, 04-11-2022.

Os pesquisadores Adrià Descals, David La Gaveau, Aleixandre VergerDaisuke Naito e Josep Peñuelas, do Centro de Reserva Ecológica e Aplicações Florestais Cerdanyola del Vallès, de BarcelonaEspanha, descobriram que durante o verão de 2020, que foi o mais quente em quatro décadas, os incêndios no Ártico queimaram uma área sem precedentes de solos ricos em carbono. Eles projetam que o aquecimento climático de curto prazo causará um aumento exponencial na área queimada em solos ricos em carbono do Ártico antes de meados do século.

Os incêndios no Ártico podem liberar grandes quantidades de carbono das turfeiras do permafrost. Observações de satélite revelam que os incêndios queimaram aproximadamente 4,7 milhões de hectares em 2019 e 2020, representando 44% da área total queimada no Ártico Siberiano durante todo o período 1982-2020.

O verão de 2020 foi o mais quente em quatro décadas, com incêndios queimando uma área sem precedentes de solos ricos em carbono. A pesquisa mostra que os fatores de incêndio associados à temperatura aumentaram nas últimas décadas e identifica uma relação quase exponencial entre esses fatores e a área queimada anual.

Grandes incêndios no Ártico provavelmente se repetirão com o aquecimento climático antes de meados do século, porque a tendência da temperatura está atingindo um limite no qual pequenos aumentos na temperatura estão associados a aumentos exponenciais na área queimada.

Atividade de fogo sem precedentes acima do Círculo Polar Ártico ligada ao aumento das temperaturas 

Foto: Science / Nathalie Cary

Referência

Adrià DescalsDavid La Gaveau, Aleixandre VergerDaisuke Naito e Josep Peñuelas. Unprecedented fire activity above the Arctic Circle linked to rising temperatures. Science (2022).


Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Aquecimento global aumenta megaincêndios no permafrost - Instituto Humanitas Unisinos - IHU