“Vamos reconstruir com justiça”, lema para a Jornada de Comércio Justo 2021

Mais Lidos

  • “Com Francisco cumpre-se a profecia de Arrupe”. Entrevista com Pedro Miguel Lamet

    LER MAIS
  • Às leitoras e aos leitores. Sobre o envio da Newsletter

    LER MAIS
  • Somos todos aspirantes a cristãos. Entrevista com Paolo Ricca

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

05 Mai 2021

Quando a crise econômica afeta todos os setores, os mais vulneráveis sofrem mais diretamente. Neste sábado, 08 de maio, na Plaza del General Loma, Vitoria-Gasteiz, Espanha das 11 às 14 horas, várias organizações promotoras do Comércio Justo sairão à rua em razão da Jornada que é celebrada a cada segundo sábado de maio em muitas cidades do mundo.

A reportagem é de Vicente Luis García Corres, publicada por Religión Digital, 05-05-2021. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

“Vamos reconstruir com justiça” é a mensagem que resume as reivindicações de Comércio Justo a nível internacional e que, na Espanha, até o momento, 222 organizações a subscrevem.

Com esta declaração, as organizações fazem um chamado a representantes políticos e instituições internacionais para que a recuperação da economia e o comércio na era pós-covid priorize os Direitos Humanos, a proteção do planeta e se baseie nos valores do Comércio Justo e da Economia Solidária.

Pedem uma transformação do modelo econômico que diminua as desigualdades sociais e freiem a emergência climática.

 

Zentzuz

Logo antes da pandemia, e com o apoio da Prefeitura de Vitoria-Gasteiz, nascia Zentzuz, a Rede de Comércio Justo e Consumo Responsável de Vitória-Gasteiz, cujo objetivo fundacional é fomentar o Comércio Justo e o Consumo Responsável, desde um enfoque internacional/global, centrado especialmente no respeito aos direitos humanos e trabalhistas na produção e comercialização de bens e serviços, nos impactos sociais e ambientais do sistema econômico globalizado de produção nos países do Sul e a sustentabilidade do planeta.

Esta rede está integrada pelas organizações Mugarik Gabe, SETEM Hego HAizea, Bide Bidean e Medicusmundi Araba. Essas organizações já trabalham há anos de forma solidária.

Em 2005 nascei o consórcio Zentzuz Kontsumitu, como projeto de educação para a transformação social que buscava transformar Vitoria-Gasteiz em uma cidade referência no modelo de Economia Social e Solidária baseada em um consumo consciente, responsável e transformador e que colocasse a vida sustentável no centro. A principal ferramenta para promover o consumo responsável como uma opção prática, próxima e cotidiana foi o trabalho de incidência social e política em rede com os coletivos e organizações implicadas, com o objetivo de trasladar a ideia de que outro modelo social e econômico é possível.

Durante os últimos anos o consórcio trabalhou três eixos temáticos:

  • Soberania Alimentar: é necessário um modelo agroalimentar que fortaleça a agricultura e pecuária local, reduza o impacto ambiental e garanta produtos de qualidade.
  • Compra Pública Responsável: as administrações podem e devem realizar compras públicas que considerem não só critérios econômicos, mas também ambientais, sociais...
  • Cadeia Global de Cuidados: a vida no centro. Diante de um sistema capitalista que prioriza a produção, é preciso valorizar os cuidados essenciais à vida.

Diversas atividades adaptadas ao tempo da pandemia foram programadas em torno desta Conferência, que podem ser consultadas neste link.

 

Non solum sed etiam

É difícil combinar a sobrevivência dos empregos nos grandes supermercados com o consumo justo e solidário. Mas são necessárias tanto as iniciativas de consumo que promovam o Km 0 como o Comércio Justo de produtos que foram produzidos, tratados e colocados no mercado com critérios de justiça e respeito pelo ambiente. Sempre priorizar o consumo nas lojas de bairro, nos pequenos negócios, nas economias familiares, ainda que se compre nas grandes lojas e online. Enfim, busque o equilíbrio.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“Vamos reconstruir com justiça”, lema para a Jornada de Comércio Justo 2021 - Instituto Humanitas Unisinos - IHU