“Eu me manifestei sozinho. Queria dar uma contribuição”. Entrevista com Potito, adolescente italiano

Mais Lidos

  • Especialização em Protagonismo Feminino na Igreja: experiência de sororidade e crescimento humano integral

    LER MAIS
  • Católicos versus Evangélicos no Brasil: “guerra de posição” x “guerra de movimento”. Artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    LER MAIS
  • No meio do caminho estava o CIMI: 50 anos do documento-denúncia “Y-Juca-Pirama” e a atuação do Pe. Antônio Iasi Jr, SJ

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

30 Setembro 2019

Ele protestou sozinho contra a poluição. Potito, 12 anos, aluno da segunda série, estava sentado na praça de sua cidade, Stornarella, na região de Foggiano, com um desenho - uma mão estendida segurando um bolo decorado de plástico - feito por ele.

A entrevista é de Luca Pernice, publicada por Corriere della Sera, 28-09-2019. A tradução é de Luisa Rabolini.

Eis a entrevista.

Por que um protesto solitário?

A autorização para se manifestar era apenas para escolas secundárias. Mas tive a permissão dos meus pais: cada um de nós deve fazer uma contribuição.

Por que você fez isso?

No Cântico das Criaturas, se fala da ‘irmã mãe terra’. E a terra é nossa mãe que nos alimenta todos os dias, nos faz viver. Nós a estamos envenenando. E como envenenar a própria mãe.

Você conhece Greta Thunberg?

Há algum tempo, na TV, vi que ela estava protestando sozinha com uma placa e eu quis fazer o mesmo. Mas a frase I keep on eye on you, ou seja, ‘Estou de olho em você’, não a copiei. É minha.

O que você quer dizer aos garotos de sua mesma idade?

Que não devemos protestar apenas um dia por ano. Eu uso garrafas de alumínio e não garrafas de plástico. Em casa e na escola. Pedi aos meus pais para instalar um purificador de água. Portanto, não vamos mais pegar garrafas de plástico que estão matando o meio ambiente. A Terra é o nosso futuro e cabe a nós protegê-la. A todos, começando por nós, os mais jovens.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

“Eu me manifestei sozinho. Queria dar uma contribuição”. Entrevista com Potito, adolescente italiano - Instituto Humanitas Unisinos - IHU