Universidades católicas deveriam tornar Laudato Si' central, não extracurricular. Editorial do National Catholic Reporter

Mais Lidos

  • O Novo Ensino Médio e as novas desigualdades. Artigo de Roberto Rafael Dias da Silva

    LER MAIS
  • “Um Netanyahu em plena fuga para a frente vai responder ao Irã, e apenas os EUA podem evitar o pior”

    LER MAIS
  • Elon Musk e o “fardo do nerd branco”

    LER MAIS

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

29 Janeiro 2024

Laudato Si' foi lançada quase uma década atrás — mas quando se trata de educação católica e formação, os ensinamentos da igreja sobre ecologia e nossa casa comum ainda são tratados como eletivos, não como disciplinas obrigatórias.

A seguir, reproduzimos o editorial do National Catholic Reporter, 26-01-2024.

Eis o editorial.

Raramente vemos exemplos dos princípios católicos destacados na Laudato Si' entrelaçados na forma como a igreja e seu povo operam no mundo, da maneira pela qual a ecologia integral de Francisco apela. Proteger o planeta não é uma atividade extracurricular, mas é assim que é frequentemente vista.

E ainda, juntamente com vários poluentes, a mudança pode muito bem estar no ar. Em uma conferência sobre educação superior católica na Universidade de San Diego, em meados de janeiro, o Cardeal Robert McElroy, de San Diego, instou as universidades católicas a usarem Laudato Si' como um pilar central de suas missões. Este é o tipo de integração necessária para viver verdadeiramente o ensinamento da igreja sobre ecologia integral, solidariedade e justiça. Não pode ser apenas uma lente através da qual às vezes vemos nosso mundo. Pelo contrário, deve constituir o fundamento e o quadro de uma visão de mundo católica.

Se as universidades católicas puderem fazer isso bem, podem servir como modelos para outras instituições da igreja, e até mesmo para dioceses e conferências de bispos.

McElroy não é o único que vê a educação como um caminho promissor para buscar essas mudanças. Em uma apresentação na mesma conferência, o professor de teologia e estudos religiosos da Universidade de Villanova, Massimo Faggioli, disse: "Francisco convida as faculdades e universidades católicas a fazerem parte de um processo cultural e social de transformação."

E em sua recente exortação apostólica sobre a crise climática, Laudate Deum, Francisco deixa claro que é precisamente esse tipo de transformação social que é necessário para trazer as mudanças necessárias para proteger a criação hoje, dizendo "não há mudanças duradouras sem mudanças culturais."

Durante a conferência da ONU sobre mudanças climáticas, COP28, em Dubai no ano passado, a delegação da Santa Sé enfatizou especialmente a importância da educação. Em determinado momento, a delegação até propôs que o texto final deveria conter linguagem exigindo que as nações financiem a educação sobre mudanças climáticas. (No final, nenhuma referência à educação foi incluída no texto final.)

De fato, muitos parecem concordar que é através da educação que aprenderemos a ver o mundo de Deus como algo no qual existimos e dependemos, em vez de supervisionar e distribuir. As universidades católicas estão singularmente posicionadas para mostrar como essa mudança é possível.

McElroy, em sua palestra, elabora cinco razões pelas quais Laudato Si' constitui um pilar central para avançar a missão e identidade de uma universidade católica, especificamente. Seus pontos, ligeiramente adaptados aqui, falam sobre por que Laudato Si' e sua ecologia integral funcionam tão bem como uma visão de mundo católica em geral.

  • Laudato Si' aponta para o caminho mais universalmente convidativo para o encontro com Deus.
  • Laudato Si' fala poderosamente sobre o conceito de verdade.
  • Laudato Si' testemunha lindamente o princípio da solidariedade.
  • Laudato Si' aborda incisivamente a questão moral da tecnologia e seus limites.
  • Laudato Si' fala de maneira cortante e poderosa sobre a ética da solidariedade intergeracional.

À medida que as escolas católicas nos Estados Unidos celebram a Semana das Escolas Católicas de 28 de janeiro a 3 de fevereiro, seria bom lembrar de sua rica história de manter os valores católicos, não apenas em suas salas de aula e auditórios, mas através da forma como operam dentro e interagem com o mundo.

Laudato Si' deve ter um papel central, não secundário, na forma como os católicos vivem sua fé, se seus ensinamentos realmente quiserem ter efeito e promover a transformação cultural. E as universidades católicas são um bom lugar para começar.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Universidades católicas deveriam tornar Laudato Si' central, não extracurricular. Editorial do National Catholic Reporter - Instituto Humanitas Unisinos - IHU