Países ricos “prendem” nações pobres a combustíveis fósseis

Mais Lidos

  • Católicos cínicos e a negatividade em relação ao Papa Francisco. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Influenciadores ou evangelizadores digitais católicos? Artigo de Dom Joaquim Mol

    LER MAIS
  • Campanha da Fraternidade 2024: Fraternidade e Amizade Social. Artigo de José Geraldo de Sousa Junior e Ana Paula Daltoé Inglêz Barbalho

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

24 Agosto 2023

Por meio de dívidas impagáveis, países mais ricos e credores privados aprisionam nações pobres na dependência de combustíveis fósseis, aponta novo relatório da Debt Justice.

A reportagem foi publicada por Clima info, 21-08-2023.

No esforço de pagar dívidas, países pobres investem em combustíveis fósseis para tentar obter recursos e quitar empréstimos, geralmente feitos com nações e instituições financeiras mais ricas. É o que mostra uma análise liderada pela Debt Justice, que reúne ativistas antidívida. Por isso, o grupo, que chama esse processo de “armadilha”, pede que os credores cancelem todas as dívidas de países em crise – especialmente as ligadas a projetos de hidrocarbonetos.

“Os altos níveis de dívida são uma grande barreira para a eliminação gradual dos combustíveis fósseis nos países do sul global. Muitos estão presos à exploração de combustíveis fósseis para gerar receita e tentar pagar dívidas. Mas, ao mesmo tempo, esses projetos muitas vezes não rendem o esperado e podem deixar os países ainda mais endividados. Essa armadilha tóxica deve acabar”, disse ao Guardian o oficial sênior de políticas da Debt Justice, Tess Woolfenden.

Segundo o relatório, a dívida dos países do sul global aumentou 150% desde 2011, e 54 países estão em crise de dívida, tendo que gastar cinco vezes mais em pagamentos do que em enfrentar a crise climática. “As dívidas causadas pelos combustíveis fósseis são estruturadas para serem pagas pelos combustíveis fósseis, solidificando um ciclo vicioso”, destaca Daniel Ribeiro, coordenador do programa da campanha moçambicana Justiça Ambiental.

Ribeiro conta que a dívida de Moçambique duplicou por empréstimos de bancos londrinos em 2013 contraídos sem a permissão do parlamento, com base em projeções de ganhos de suas descobertas de campos de gás fóssil. O país mergulhou em uma crise de dívida quando os preços do petróleo e do gás caíram em 2014-16 , mas as soluções dos credores internacionais para resgatar o país dependeram do reembolso de empréstimos via receitas futuras de gás.

Em tempo: As pessoas mais ricas dos Estados Unidos estão entre os maiores poluidores do mundo – não apenas por causa de suas enormes casas e jatos particulares, mas pelos combustíveis fósseis gerados pelas empresas nas quais investem. Um novo estudo publicado na revista PLOS Climate descobriu que os 10% mais ricos do país – famílias que ganham mais de US$ 178 mil – são responsáveis ​​por 40% da poluição que vem provocando as mudanças climáticas e levando ao aquecimento do planeta, destaca a CNN. Segundo os pesquisadores, somente a renda do 1% mais rico – famílias que ganham mais de US$ 550 mil – foi associada a 15% a 17% dessa poluição.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Países ricos “prendem” nações pobres a combustíveis fósseis - Instituto Humanitas Unisinos - IHU