Planeta Terra próximo ao ponto limite do aquecimento

Mais Lidos

  • Como o Papa Francisco está tentando “feminilizar” a Igreja

    LER MAIS
  • “Os maus-tratos aos animais é uma expressão do mal e da nossa incapacidade de aceitar os outros”. Entrevista com Corine Pelluchon

    LER MAIS
  • Israel-Palestina. Um soldado se sacrifica e um primeiro-ministro renuncia: o genocídio em Gaza provoca ações desesperadas

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

09 Setembro 2022

 

A seguir o ritmo atual de aquecimento, já no próximo ano o planeta atingirá a marca, considerada limite, de aumento da temperatura de 1,5 grau Celsius. Dos 20 anos mais quentes da Terra, 19 marcas foram registradas desde 2020.

 

A reportagem é de Edelberto Behs, jornalista. 

 

O alerta máximo soou na 11ª Assembleia do Conselho Mundial de Igrejas (CMI), reunida em Karlsruhe de 31 de agosto a 8 de setembro sob o tema “O amor de Cristo leva reconciliação e unidade ao mundo”.

 

“Com as mudanças climáticas e todos os seus efeitos em escala global, o mundo está mergulhado em desafios que a humanidade jamais enfrentou”, disse o presidente da Igreja da Noruega e ex-secretário geral da Federação Luterana Mundial, bispo Olav Fykse Tveit. E como sempre, agregou, as pessoas mais afetadas são aquelas que já vivem em vulnerabilidade.

 

A pastora Dra. Neddy Astudillo, ecoteóloga venezuelana radicada nos Estados Unidos e vinculada à Igreja Presbiteriana, recorreu ao Antigo Testamento, na reflexão bíblica que abriu o seminário sobre justiça climática. Ela reportou-se aos sonhos de José, que previu os sete anos de vacas gordas seguidas de sete anos de vacas magras no Egito. José recebeu o dom divino da adivinhação para preparar a nação enfrentar a crise que viria, assinalou.

 

Os adivinhos de hoje são os cientistas que estudam o efeito estufa provocado pela emissão de gases produzidos pela atividade humana. Meryne Warah, do Quênia, e Martin Kopp, da França, relataram os esforços da organização ecumênica GreenFaith para demover a petrolífera francesa Total de instalar um oleoduto na África Oriental. Mais de 100 mil pessoas e dezenas de ecossistemas de Uganda e da Tanzânia serão prejudicadas.

 

GreenFaith é uma organização interconfessional fundada em 1992, uma das organizações religiosas de defesa do meio ambiente mais antigas do mundo. A mobilização de crentes impulsiona mudanças, como se viu na luta pelos direitos civis nos Estados Unidos e contra o apartheid na África do Sul, afirmou o diretor executivo da ONG, o sacerdote episcopal Fletcher Harper.

 

Jocabe Solano, indígena do Panamá, sonha com “uma economia baseada numa relação de respeito e harmonia com a Terra”. Ela quer uma igreja que reconheça que a riqueza dos ricos procede da exploração e da violência contra a mãe-terra e seus habitantes.

 

“Uma igreja que confesse sua cumplicidade na tragédia do colonialismo, de ontem e de hoje, e que se arrependa. Sonho com a boa vida em que haja comida suficiente para todos, sem exceção”, anunciou Jocabe na Assembleia.

 

O secretário-geral de ACT Aliance, o brasileiro Rudelmar Bueno de Faria, incentivou os representantes de igrejas, ONGs e organismos eclesiais a desmantelar as estruturas econômicas, sociais e ecológicas injustas. “Queremos um modelo econômico que permita a todas as pessoas e seres vivos prosperarem. Queremos políticas econômicas que afirmem a vida e que reconheçam e deem prioridade às inúmeras alternativas locais”, como o conseguem as comunidades indígenas, preconizou.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Planeta Terra próximo ao ponto limite do aquecimento - Instituto Humanitas Unisinos - IHU