Bispos alemães proíbem a escrita de Deus com o asterisco de gênero

Mais Lidos

  • Especialização em Protagonismo Feminino na Igreja: experiência de sororidade e crescimento humano integral

    LER MAIS
  • Católicos versus Evangélicos no Brasil: “guerra de posição” x “guerra de movimento”. Artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    LER MAIS
  • No meio do caminho estava o CIMI: 50 anos do documento-denúncia “Y-Juca-Pirama” e a atuação do Pe. Antônio Iasi Jr, SJ

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

04 Novembro 2021

 

A Conferência dos Bispos Alemães rejeitou o acréscimo de um “asterisco de gênero” depois da palavra Deus (Gott), que ficaria marcada como Deus*(Gott*), como havia sugerido uma organização de jovens católicos da Alemanha.

 

A reportagem é de Christa Pongratz-Lippitt, publicada por The Tablet, 01-11-2021. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

 

“O debate teológico sobre o assunto não é relevante no momento. Nós temos vários outros problemas para resolver na Igreja agora”, falou Matthias Kopp, porta-voz da conferência em um telejornal da emissora alemã Sat.1. Ele acrescentou: “Deus é mais que o sol, a lua e as estrelas. Nós não podemos alcançar Deus. Nós não podemos descrevê-lo em palavras”.

A Comunidade Juventude Católica Alemã (KjG, pela sigla em alemão), que faz parte da Organização da Juventude Católica Alemã (BDKJ), com 660 mil membros, publicou um comunicado à imprensa dizendo que queria discutir a escrita de Deus com um asterisco de gênero. “Cada vez mais fiéis estão desanimados com a imagem de um Deus masculino, patriarcal e branco e estão dizendo isso em voz alta”, sublinhou a KjG. A imagem de um Deus masculino e branco ficou aquém do alvo e tornou o acesso de muitos jovens a Deus mais difícil, disse a declaração.

“Se você perguntar aos membros do KjG, Deus pode ser uma amiga, freundin, uma companheira ou amor”, disse Rebekka Biesenbach, assessora do KjG. “Todas essas são dimensões que a imagem de Deus como Pai não cobre”.

A mudança para usar o asterisco de gênero foi bem recebida pelo bispo Johannes Wübbe, bispo auxiliar de Osnabrück. Wübbe é responsável pelos assuntos dos jovens na Conferência Episcopal Alemã.

Ele achou “positivo” que os jovens cristãos quisessem discutir a imagem de Deus, disse ele ao jornal Weser Kurier. Ele continuamente escuta que os jovens já não podiam imaginar Deus como um homem velho com uma grande barba branca, disse ele. Dirigir-se a Deus como “Pai” era acima de tudo para ajudar a descrever a essência de Deus. “Não se destina a designar o sexo de Deus”, explicou ele

Já no ano passado (2020), a Associação de Estudantes Católicos Alemães, que também é membro do BDKJ, decidiu usar a grafia Deus* “saindo do velho branco de barba que castiga para um Deus de diversidade”, disse a associação.

Os bispos não apontaram que as duas primeiras palavras da Oração do Senhor são “Pai-Nosso”.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bispos alemães proíbem a escrita de Deus com o asterisco de gênero - Instituto Humanitas Unisinos - IHU