Um horizonte pós-catastrófico. Caminhos para o Bem Viver no Brasil extrativista. Pós-extrativismo e Bem-Viver são debatidos na Unicamp

Mais Lidos

  • “Não existe no país uma reivindicação de demarcação da praia de Copacabana, quanto menos de todo território nacional”, explica jurista

    LER MAIS
  • Papa Francisco revela aos reitores latino-americanos o título da “segunda parte” da Laudato Si’: Laudate Deum

    LER MAIS
  • Que padre, para que Igreja. Artigo de Francesco Cosentino

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

11 Setembro 2019

O Grupo de Estudos de Economia Pós-Desenvolvimentista (Tapuia-Neepode), coletivo de estudantes do Instituto de Economia da Unicamp (IE-UNICAMP) está organizando um Fórum intitulado "Um horizonte pós-catástrofes: caminhos para o bem-viver no Brasil extrativista" no dia 30 de setembro no Centro de Convenções da Unicamp (Campinas/SP), com a presença de Eduardo Gudynas (CLAES), Verena Glass (Rosa Luxemburgo), Mario Rodriguez (Red de Diversidad de Bolivia), Áurea Carolina (Deputada Federal pelo PSOL-MG), dentre outros nomes importantes para os movimentos acadêmicos, políticos e sociais.

Na sequência, nos dias 1 e 2 de outubro o Instituto de Economia (IE) receberá uma série de mini-cursos e sobre "pós-extrativismo e direitos da natureza", "práticas de bem-viveres" e "etnodesenvolvimento".

colocar aqui a legenda (Foto: nome do fotógrafo)

O intuito das atividades é levantar discussões que coloquem a questão do meio ambiente e dos conflitos socioterritoriais no centro da problemática do desenvolvimento brasileiro contemporâneo e fomentar debates sobre a natureza do desenvolvimento e suas políticas desenvolvimentistas, criticando sua lógica e suas dimensões destrutivas do meio ambiente e das formas de vida tradicionais.

Considera-se urgente a realização de discussões que promovam o bem-viver comunitário, sem incorrer na exploração do trabalho e da natureza.

Mais informações sobre as atividades podem ser acessadas nos links do Facebook:

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Um horizonte pós-catastrófico. Caminhos para o Bem Viver no Brasil extrativista. Pós-extrativismo e Bem-Viver são debatidos na Unicamp - Instituto Humanitas Unisinos - IHU