Clima extremo: Porto Alegre tem o mês mais chuvoso em mais de 100 anos

Mais Lidos

  • O Novo Ensino Médio e as novas desigualdades. Artigo de Roberto Rafael Dias da Silva

    LER MAIS
  • “Um Netanyahu em plena fuga para a frente vai responder ao Irã, e apenas os EUA podem evitar o pior”

    LER MAIS
  • Elon Musk e o “fardo do nerd branco”

    LER MAIS

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

29 Setembro 2023

Com mais chuvas na capital gaúcha, a água do Lago Guaíba transbordou pelas comportas que haviam sido fechadas pela prefeitura para evitar alagamento da cidade.

A reportagem é publicada por ClimaInfo, 28-09-2023.

Setembro de 2023 já é o mês mais chuvoso de Porto Alegre desde 1916, quando começaram as medições regulares. Os cálculos foram feitos pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). E com mais chuvas atingindo várias regiões do estado e também da cidade na 4ª feira (27/9), o recorde certamente será superado até o final deste mês no próximo sábado.

Até a 3ª feira (26/9), o INMET havia registrado o acumulado de 413,8 mm de chuva em Porto Alegre. O número representa quase o triplo da média normal de precipitação na cidade para o mês de setembro, que é de aproximadamente 148 mm. O recorde foi destacado por diversos veículos, como CNN, g1, Climatempo, Metrópoles, Sul21 e GZH.

Na manhã de terça, o INMET emitiu um alerta vermelho para a região da capital gaúcha, indicando um “grande perigo”. De acordo com o instituto, o risco principal era colocado por chuvas em grande volume que poderiam fazer com que rios da região transbordassem e alagassem áreas urbanas, detalha o g1.

Na manhã de quarta, a água do Lago Guaíba, em Porto Alegre, começou a transbordar em alguns pontos. A água vazou pelas comportas que haviam sido fechadas pela prefeitura para evitar o alagamento da cidade, e funcionários da prefeitura colocaram sacos de areia para diminuir o fluxo de água, informa o g1.

A água atingiu a calçada em regiões como a praia de Ipanema e o Cais Mauá, um dos principais pontos turísticos de Porto Alegre. De acordo com a Defesa Civil, por volta das 11h30 de ontem o nível do Guaíba estava em 3,17 metros – 17 centímetros acima da cota de inundação.

Já na 2ª feira (26/9), a formação de um novo ciclone extratropical provocou fortes chuvas, inundações e queda de granizo em várias áreas do Rio Grande do Sul, informam O Globo, Folha, Estadão, Carta Capital e R7. Uma pessoa morreu.

Ontem, os efeitos do fenômeno afetaram ao menos cinco municípios – Santa Maria, Dona Francisca, Canoas, Faxinal do Soturno e Estância Velha –, segundo balanço divulgado pela Defesa Civil estadual.

Em tempo:

Chegou a 50 o número oficial de mortos pelas tempestades provocadas por um ciclone extratropical que atingiu o norte do Rio Grande do Sul no início deste mês. Segundo o g1, a Defesa Civil gaúcha divulgou que o corpo encontrado no último domingo (24/9) em Roca Sales, no Vale do Taquari, é de um homem que desapareceu na enchente que atingiu a cidade. Com isso, o número de desaparecidos na lista da Polícia Civil caiu para oito, enquanto o total de óbitos aumentou de 49 para 50.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Clima extremo: Porto Alegre tem o mês mais chuvoso em mais de 100 anos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU