Pesquisa aponta que 65% dos pais negros já se sentiram discriminados ao cuidarem de seus filhos

Mais Lidos

  • Como o Papa Francisco está tentando “feminilizar” a Igreja

    LER MAIS
  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • “Os maus-tratos aos animais é uma expressão do mal e da nossa incapacidade de aceitar os outros”. Entrevista com Corine Pelluchon

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

15 Agosto 2023

Levantamento realizado pelo Instituto Promundo é o primeiro a abordar o tema da paternidade negra no Brasil.

A reportagem é publicada por Brasil de Fato, 13-08-2023. 

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Promundo aponta que 65% dos pais negros afirmou já ter sentido alguma discriminação por parte de outras pessoas em relação ao cuidado com as crianças pequenas. O levantamento, que ouviu 270 voluntários entre janeiro e fevereiro de 2021, é o primeiro a abordar a temática negra na paternidade.

Em 2019, o Instituto já havia realizado uma pesquisa para tratar sobre a paternidade, mas com foco mais abrangente. Desta vez, ao dar ênfase à população negra, temas importantes foram levantados, entre eles a educação.

Entre as 270 pessoas ouvidas por meio de questionário, 90% afirmam sentir dificuldades ao tratar do racismo com seus filhos. Parte destes pais relatam que precisam de mais repertório para educarem as crianças sobre temas importantes.

Para tanto, o relatório aponta que políticas públicas, principalmente aquelas voltadas a reparação histórica como a política de cotas, são importantes para dar sustentação a este debate entre pais e filhos.

Outro destaque da pesquisa é a ausência de personagens negros em histórias infantis, que poderiam dar subsídios à educação, apesar de mais da metade da população brasileira se autodeterminar negra.

Por fim, o levantamento explica que o racismo estrutural, seja em termos geográficos, de trabalho e renda e mesmo educação, são determinantes para as dificuldades enfrentadas por pais negros na criação de seus filhos.

Leia o relatório na íntegra aqui.

Leia mais

 

 

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Pesquisa aponta que 65% dos pais negros já se sentiram discriminados ao cuidarem de seus filhos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU