Energia solar produzida na USP poderia abastecer 3,2 mil casas

Mais Lidos

  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • A 'facisfera' católica: jovens sacerdotes ultraconservadores que rezam no YouTube pela morte do Papa Francisco

    LER MAIS
  • A fé que ressurge do secularismo e do vírus. Artigo de Tomáš Halík

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

21 Janeiro 2019

Em maio de 2012, o Instituto de Energia e Ambiente (IEE) da USP iniciou as atividades para a implantação da usina fotovoltaica no campus Cidade Universitária, no Butantã, em São Paulo. Os projetos receberam recursos da Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista (CTEEP) e da Companhia Energética de São Paulo (Cesp), além do auxílio da Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo (Fusp) e da Prefeitura do Campus da capital (PUSP). Conheça a localização das placas solares e a sua contribuição para a demanda de eletricidade do campus.

A reportagem é de Matheus Souza, publicada por Jornal da USP, 18-01-2019.

Onde estão as placas solares

Os sistemas de energia solar da USP, em São Paulo, totalizam, juntos, 540 kW de potência, gerando o total de 1% da energia elétrica do campus. A energia produzida é jogada na rede subterrânea, podendo ser utilizada por toda a Cidade Universitária


(Arte: Larissa Fernandes)

Luz solar transformada em energia elétrica


(Arte: Larissa Fernandes)

Quanto a USP economiza?

Em 2017, a USP consumiu quase 80 mil Megawatt-hora (MWh)


Arte: Larissa Fernandes

Isso equivale a um custo de 30 milhões de reais (considerando apenas o campus Cidade Universitária)

A economia pode chegar a 305 mil reais com o 1% de energia gerada via usinas solares

A energia solar produzida na USP poderia abastecer 3200 casas

 

 

 

 


Arte: Larissa Fernandes

Domicílio padrão com quatro pessoas e um consumo mensal de 250 kWh/mês.

Novas instalações

A USP poderia ter uma economia ainda maior caso houvesse investimento em mais usinas solares. Em 2017, o então aluno do IEE Mario Luiz Ferrari Pin fez, em sua dissertação de mestrado, um levantamento do potencial para instalação de novos sistemas fotovoltaicos na Cidade Universitária

14 edifícios poderiam ter módulos fotovoltaicos instalados em seus telhados, como o Conjunto Residencial (Crusp) e o Departamento de História e Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH)

As novas usinas poderiam gerar até 3,1% da energia elétrica consumida no campus


(Arte: Larissa Fernandes)

Outras unidades onde é possível instalar placas solares

Instituto de Ciências Biomédicas
Faculdade de Economia e Administração
Instituto de Química
Departamento de Engenharia Química da Escola Politécnica
Centro de Difusão Internacional
Faculdade de Odontologia
Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas
Instituto Oceanográfico
Centro de Práticas Esportivas – Raia Olímpica
Departamento de Engenharia Elétrica da Escola Politécnica

Fontes: Professor Roberto Zilles, coordenador das Atividades de Pesquisa do Serviço Técnico de Sistemas Fotovoltaicos; Programa Permanente para o Uso Eficiente dos Recursos Hídricos e Energéticos (PUERHE) na USP e Levantamento do potencial de geração fotovoltaica com sistemas de microgeração aplicados à arquitetura nos edifícios do campus São Paulo da USP, de Mario Luiz Ferrari Pin.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Energia solar produzida na USP poderia abastecer 3,2 mil casas - Instituto Humanitas Unisinos - IHU