Papa Bergoglio encontra um grupo de refugiados, em Roma, antes da celebração de Corpus Christi

Mais Lidos

  • Especialização em Protagonismo Feminino na Igreja: experiência de sororidade e crescimento humano integral

    LER MAIS
  • Católicos versus Evangélicos no Brasil: “guerra de posição” x “guerra de movimento”. Artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    LER MAIS
  • No meio do caminho estava o CIMI: 50 anos do documento-denúncia “Y-Juca-Pirama” e a atuação do Pe. Antônio Iasi Jr, SJ

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

19 Junho 2017

Papa Francisco, no dia de ontem, domingo, 18-06-2017, antes do Corpus Christi em São João de Latrão, em Roma, reservou uma meia hora para conversar com um grupo composto por cerca de vinte refugiados. Sírios, eritreus, nigerianos, sudaneses. Encontrou-os junto com monsenhor Feroci, da Caritas da diocese de Roma, no palácio da Canônica, ao lado da Basílica.

Nos últimos dias, havia comunicado o seu desejo ao cardeal Vallini que organizou o encontro tentando torná-lo bem focado. Por essa razão apareceram avisos nos murais internos destinados ao pessoal religioso para que evitassem o afluxo de pessoas no hall de entrada, pois isso implicaria em cumprimentos aos presentes, retardando a organização marcada antes da celebração no adro às 19h.

A informação é de Franca Giansoldati, publicada por Il Messaggero, 18-06-2017. A tradução é de Luisa Rabolini.

Esta manhã no Angelus, o papa lembrou que daqui a dois dias será celebrado o Dia Mundial do Refugiado, promovido pelas Nações Unidas. O tema deste ano é intitulado: “Com os refugiados, agora mais do que nunca, devemos estar ao lado dos refugiados”.

“A atenção concreta é destinada a mulheres, homens, crianças que fogem de conflitos, violências e perseguições. Nós também recordamos em oração todos os que perderam suas vidas no mar ou em exaustivas viagens por terra. Suas histórias de dor e esperança podem se tornar oportunidades para fraternal encontro e recíproco conhecimento verdadeiro. De fato, o encontro pessoal com os refugiados dissipa medos e ideologias distorcidas e torna-se um fator de crescimento em humanidade, capaz de abrir espaço para sentimentos de abertura e para a construção de pontes".

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Papa Bergoglio encontra um grupo de refugiados, em Roma, antes da celebração de Corpus Christi - Instituto Humanitas Unisinos - IHU