El Salvador. Igreja está pronta para a beatificação de Rutilio Grande, Manuel Solórzano, Nelson Rutilio Lemus e Cosme Spessotto

Mais Lidos

  • Católicos cínicos e a negatividade em relação ao Papa Francisco. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Influenciadores ou evangelizadores digitais católicos? Artigo de Dom Joaquim Mol

    LER MAIS
  • Campanha da Fraternidade 2024: Fraternidade e Amizade Social. Artigo de José Geraldo de Sousa Junior e Ana Paula Daltoé Inglêz Barbalho

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

20 Dezembro 2021

 

A Igreja Católica salvadorenha declarou-se “preparada” para beatificar no próximo dia 22 de janeiro dois padres e dois leigos assassinados no prelúdio da guerra civil que sangrou o país centro-americano entre 1980 e 1992.

 

A reportagem é publicada por Infobae, 17-12-2021. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

 

“Está praticamente tudo preparado para a beatificação, e um detalhe importante é que se decidiu que o lugar da beatificação será a Praça ao Divino Salvador do Mundo”, assegurou em coletiva de imprensa o arcebispo de San Salvador, José Luis Escobar.

O prelado explicou, ao finalizar a missa dominical na catedral de San Salvador, que o ato em que se beatificará o padre salvadorenho Rutílio Grande e o religioso italiano Cosme Spessotto ocorrerá às 17h locais do sábado, 22 de janeiro.

Junto a eles, serão beatificados os leigos Manuel Solórzano e Nelson Rutilio Lemus, assassinados juntos com Rutílio.

Os três foram baleados por um esquadrão da morte que metralhou o carro que conduziam no dia 12 de março de 1977, em uma rodovia para o povoado de El Paisnal, 38km ao norte da capital.

Segundo a Igreja, os assassinatos de Rutílio e dos dois leigos, assim como de Cosme Spessoto, em 14 de junho de 1980, foram “por ódio à fé”, quando a guerra civil salvadorenha apenas estava começando, e até hoje está impune.

Rutílio Grande, um padre jesuíta, é reconhecido como um amigo muito próximo do primeiro santo salvadorenho, dom Óscar Arnulfo Romero, canonizado pelo Papa Francisco em 14 de outubro de 2018.

Romero foi assassinado em 24 de março de 1980.

“Um bom número de bispos nos disse que virão, assim como alguns cardeais que esperamos que também venham e muitos padres e leigos”, destacou Escobar.

A missa de beatificação será presidida pelo delegado do Papa Francisco, o cardeal Gregório Rosa Chávez, bispo-auxiliar de San Salvador.

Nos 12 anos de guerra civil, mais de 75 mil pessoas morreram.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

El Salvador. Igreja está pronta para a beatificação de Rutilio Grande, Manuel Solórzano, Nelson Rutilio Lemus e Cosme Spessotto - Instituto Humanitas Unisinos - IHU