Nicarágua. Daniel Ortega chama os bispos católicos de "terroristas"

Mais Lidos

  • “Com Francisco cumpre-se a profecia de Arrupe”. Entrevista com Pedro Miguel Lamet

    LER MAIS
  • Às leitoras e aos leitores. Sobre o envio da Newsletter

    LER MAIS
  • Somos todos aspirantes a cristãos. Entrevista com Paolo Ricca

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

06 Outubro 2021


Em sua declaração, o presidente nicaragüense anunciou que os atos de violência que eclodiram em 2018 entre o governo e os grupos de oposição foram "uma tentativa de golpe apoiada no exterior".


A informação é publicada por Religión Digital, 06-102-2021.


O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, chamou os bispos católicos do país de "terroristas".

Em sua declaração, o presidente nicaraguense anunciou que os atos de violência que eclodiram em 2018 entre o governo e grupos de oposição foram "uma tentativa de golpe apoiada pelo exterior".

Ele descreveu os bispos da Igreja Católica como "terroristas" ao referir-se ao plano oferecido por eles que mediaram os atos de violência.
«Num documento vergonhoso, em nome dos terroristas, os bispos exigiram a retirada de todas as autoridades e que os terroristas se instalassem no Governo a serviço dos ianques», afirmou.


Segundo a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), 326 pessoas morreram na Nicarágua nos protestos massivos contra o executivo da Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN) liderada por Daniel Ortega em 2018, dezenas de milhares de manifestantes foram presos.

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Nicarágua. Daniel Ortega chama os bispos católicos de "terroristas" - Instituto Humanitas Unisinos - IHU