Casamento homossexual novamente cria divisões na Igreja Anglicana. O primaz Justin Welby cede aos conservadores e aos liberais

Mais Lidos

  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • A 'facisfera' católica: jovens sacerdotes ultraconservadores que rezam no YouTube pela morte do Papa Francisco

    LER MAIS
  • Garimpo e barbárie: uma história de genocídio e de luta dos Yanomami. Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

28 Julho 2022

 

O arcebispo de Canterbury, James Welby, respondeu às críticas sobre a declaração de que o casamento é “entre um homem e uma mulher”.

 

A reportagem é de Harriet Sherwood, publicada por The Guardian, 26-07-2022. A tradução é de Wagner Fernandes de Azevedo.

 

O arcebispo James Welby foi forçado a aceitar que os bispos anglicanos de todo o mundo possam rejeitar uma declaração sobre sexualidade quando se encontrarem em Canterbury nesta semana para a Conferência de Lambeth.

 

A virada de Justin Welby, o líder global da Comunhão Anglicana e presidente da conferência, veio no fim da noite de segunda-feira, poucas horas antes dos 650 delegados começarem a chegar para a conferência de 12 dias.

 

O ato veio na sequência de um clamor de anglicanos liberais e ativistas dos direitos dos gays sobre uma declaração – conhecida como Chamados de Lambeth – sobre a dignidade humana que define o casamento como “entre um homem e uma mulher”. Acrescentou-se que “legitimar ou abençoar uniões do mesmo sexo” não pode ser aconselhado, e que “é a mente da comunhão anglicana como um todo que o casamento entre pessoas do mesmo sexo não é permitido”.

 


O texto em português dos Chamados de Lambeth. O Chamado pela Dignidade Humana começa na página 15.

 

Entre os que protestavam estava o bispo de Los Angeles, John Harvey Taylor, que disse que a declaração era “o oposto dos valores cristãos de cura e reconciliação. Cria um bode expiatório, divide, fere e nega”.

 

Os bispos da Igreja no País de Gales disseram que o Chamado “mina e subverte a dignidade de uma parte integrante de nossa comunidade, em vez de afirmá-la”.

 

A declaração de segunda-feira à noite da Conferência de Lambeth disse: “Nos últimos dias, ouvimos atentamente as respostas dos bispos… O grupo de redação do Chamado pela Dignidade Humana fará algumas revisões na declaração”.

 

Não deu mais detalhes, mas disse que o texto revisado será divulgado “assim que estiver disponível”.

 

A declaração também anunciou que os bispos agora teriam uma terceira opção para responder ao Chamado de Lambeth. “Os bispos agora poderão declarar nitidamente sua oposição a uma declaração específica, além de apoiá-la ou pedir mais discussões. A terceira opção indicará: 'Este Chamado não fala por mim. Eu não adiciono minha voz a este Chamado'”.

 

Jayne Ozanne, uma proeminente ativista pela igualdade LGBTQIA+ na Igreja da Inglaterra, saudou a medida. Mas ela acrescentou: “Ainda estou profundamente preocupada com o tom deste comunicado. Não parece abordar nenhuma das preocupações relacionadas ao processo que muitos sinalizaram, nem reconhece a quebra de confiança que existe agora em relação às [discussões sobre sexualidade e identidade] aqui na Inglaterra”.

 

A questão da sexualidade e do casamento entre pessoas do mesmo sexo causou profundas divisões entre os anglicanos, tanto no Reino Unido quanto no mundo, por décadas. A Conferência de Lambeth programada para 2018 foi cancelada por Welby, pois ficou claro que as diferenças eram irreconciliáveis e prejudicariam a igreja global.

 

Em 2016, uma reunião de primazes anglicanos de todo o mundo votou para impor sanções de fato à Igreja Episcopal dos EUA por aprovar casamentos entre pessoas do mesmo sexo e emitiu uma declaração reafirmando a “doutrina tradicional” de que o casamento deve ser entre um homem e uma mulher.

 

Desde então, a Igreja Episcopal Escocesa decidiu permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo e a Igreja Anglicana no País de Gales votou para oferecer bênçãos especiais aos casais do mesmo sexo. A Igreja da Inglaterra ainda proíbe casamentos homossexuais.

 

Líderes de Igrejas conservadoras de Ruanda, Nigéria e Uganda estão boicotando a conferência em protesto ao apoio de algumas Igrejas Anglicanas às uniões homossexuais.

 

Welby deseja concentrar a Conferência de Lambeth desta semana em questões como a crise climática e a desigualdade global. Em uma mensagem aos bispos na semana passada, ele disse: “Sem ignorar aquelas coisas em que discordamos profundamente, rezo para que nos aproximemos deste encontro com um senso ainda mais profundo do que nos une: o amor de Jesus Cristo e seu chamado para servir mundo de Deus”.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Casamento homossexual novamente cria divisões na Igreja Anglicana. O primaz Justin Welby cede aos conservadores e aos liberais - Instituto Humanitas Unisinos - IHU