O cardeal Pell se diz favorável a que a Igreja australiana seja julgada pelos abusos sexuais

Mais Lidos

  • Influenciadores ou evangelizadores digitais católicos? Artigo de Dom Joaquim Mol

    LER MAIS
  • Para onde estamos indo? Artigo de Leonardo Boff

    LER MAIS
  • Os equilíbrios de Lula no Brasil pós-Bolsonaro. Artigo de Bernardo Gutiérrez

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

Por: André | 11 Março 2014

O arcebispo de Sidney, George Pell, que foi nomeado como “ministro” da Economia do Vaticano, acredita que a Igreja católica da Austrália deveria ser julgada pelos casos de abusos sexuais a menores, informa  a mídia local.

 
Fonte: http://bit.ly/1h7C1FF  

A reportagem está publicada no sítio espanhol Religión Digital, 10-03-2014.  A tradução é de André Langer.

“Meu ponto de vista pessoal é que a Igreja na Austrália deveria ser julgada em relação aos casos deste tipo”, disse Pell em uma declaração lida na comissão governamental que investiga as respostas das instituições religiosas, sociais e estatais às denúncias de abusos sexuais a menores.

Este documento foi divulgado na terceira rodada de audiências públicas realizada pela comissão para analisar as denúncias formuladas por John Ellis sobre abusos sexuais a menores cometidos entre 1974 e 1979 pelo sacerdote Aiden Duggan, segundo a cadeia local ABC.

O cardeal Pell é uma das nove testemunhas que deveriam testemunhar nesta comissão australiana.

A advogada de John Ellis também detalhou os abusos experimentados por este, assim como suas tentativas de buscar justiça, os atrasos do processo e as críticas aos procedimentos que, além disso, causaram dor e sofrimento à vítima.

Ellis, que foi coroinha durante os abusos, sentia-se envergonhado porque acreditava que sua conduta estava equivocada, recordou que o sacerdote lhe disse que o amava e lhe entregou um livro sobre as relações homossexuais, o que o fez crer que era homossexual ou bissexual.

A vítima processou Duggan e o cardeal George Pell, por ser este o arcebispo de Sidney, em um processo no qual a Igreja reconheceu que houve um abuso, mas posteriormente se determinou em outra instância de apelação que nem Pell nem os administradores desta instituição poderiam ser responsabilizados por estes atos.

A criação desta comissão foi anunciada em novembro de 2012, depois que a Polícia de Nova Gales do Sul acusara a Igreja católica de encobrir casos de pederastia supostamente organizada, tratar de silenciar as investigações e de destruir provas cruciais para evitar processos judiciais.

A comissão de seis membros começou as audiências no ano passado e deverá emitir um relatório no final de junho próximo, antes de concluir seu trabalho em dezembro de 2014.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

O cardeal Pell se diz favorável a que a Igreja australiana seja julgada pelos abusos sexuais - Instituto Humanitas Unisinos - IHU