Ato em Porto Alegre defende liberdade de ensino e autonomia pedagógica

Mais Lidos

  • “O mundo da educação foi sobrecarregado e perturbado pelo surgimento do ChatGPT”. Discurso do cardeal José Tolentino de Mendonça

    LER MAIS
  • O “Filioque” e a história. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • Genocídio Yanomami em debate no IHU. Quanta vontade política existe para pôr fim à agonia do povo Yanomami? Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

20 Novembro 2023

Manifestação defendeu a liberdade de ensino e autonomia pedagógica para uma educação, plural, inclusiva democrática.

A reportagem é publicasda por Sul 21, 19-11-2023. 

Cerca de 200 pessoas participaram na manhã deste domingo (18), no Parque da Redenção, de um ato em defesa da liberdade de ensino e autonomia pedagógica. Mães, pais, estudantes, professores e professoras estiveram na manifestação chamada pelo Sindicato dos Professores do RS (Sinpro), Mães e Pais pela Democracia, Sindicato dos Municipários (Simpa), União Estadual de Estudantes (UEE), CPERS, ADUFRGS-Sindical, dentre outras entidades. Com início pela João Pessoa o grupo percorreu a José Bonifácio defendendo a liberdade de ensino e autonomia pedagógica para uma educação, plural, inclusiva democrática.

Os manifestantes conversaram com com o público e entregaram panfletos sobre a importância das liberdades democráticas na educação. A defesa de um professor de História atacado no colégio Anchieta foi o estopim que gerou a manifestação, que defendeu a pluralidade de ideias, a diversidade, o pensamento crítico e a inclusão na escola.

A defesa das professoras e professores, a unidade e cumplicidade de estudantes e professores foram destacadas pelos manifestantes como condição indispensável para que seja possível uma educação para a liberdade e emancipação, assinalou Aline Kerber, da Mães e Pais pela Democracia, uma das organizadoras do ato e que fez a denuncia em defesa da educação democrática no MPF.

O professor foi reintegrado na escola e isso foi celebrado durante a passeata.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Ato em Porto Alegre defende liberdade de ensino e autonomia pedagógica - Instituto Humanitas Unisinos - IHU