Um capitão que abandona a tropa. Artigo de Edelberto Behs

Mais Lidos

  • Especialização em Protagonismo Feminino na Igreja: experiência de sororidade e crescimento humano integral

    LER MAIS
  • Católicos versus Evangélicos no Brasil: “guerra de posição” x “guerra de movimento”. Artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    LER MAIS
  • No meio do caminho estava o CIMI: 50 anos do documento-denúncia “Y-Juca-Pirama” e a atuação do Pe. Antônio Iasi Jr, SJ

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

04 Julho 2023

"O Brasil capota e a gente não se dá conta das reviravoltas. O ministro do STF, Alexandre de Morais, está bem amparado quando manda prender os patridiotas que invadiram as sedes dos três poderes, em Brasília, no dia 8 de janeiro. Ele busca seu amparo legal na Lei 14.197, de 1º de setembro de 2021", escreve Edelberto Behs, jornalista.

Eis o artigo.

O Capítulo II da lei, que trata “Dos crimes contra as instituições democráticas”, estabelece, no Artigo 359-L: “Tentar, com emprego de violência ou grave ameaça, abolir o Estado Democrático de Direito impedindo ou restringindo o exercício dos poderes constitucionais”. E no Artigo 359-M: “Tentar depor, por meio da violência ou grave ameaça, o governo legitimamente constituído”. A reclusão, para o primeiro caso, é de quatro a oito anos, e de quatro a 12 anos, no segundo caso.

E agora a capotagem. Quem assinou a lei no dia 1º de setembro de 2021? Ninguém menos do que Jair Messias Bolsonaro, Anderson Gustavo Torres, Walter Souza Braga Netto, Damares Regina Alves e Augusto Heleno Ribeiro Pereira!!!!! Os mesmos que se calaram quando a turminha invadiu a Praça dos Três Poderes!

Foi o comunicador social Victor Panchorra que chamou a atenção, em postagem no Tik-Tok, para a covardia do ex-presidente da República, e mesmo dos demais signatários da referida lei, que se calaram, embora soubessem que seus seguidores, acampados em frente aos quartéis pedindo a anulação do pleito ou golpe de Estado, ou tentando invadir a sede da PF em Brasília, estavam infringindo a lei.

O presidente assina lei que torna crime atentar contra o Estado de Direito e deixa os seus seguidores se ralarem em toscas manifestações, sabendo que estão contrariando o texto legal que ele mesmo validou. O fato indica, no mínimo, ausência de lealdade para com seus eleitores. De caráter, então, nem se fala.

E ainda tem seguidor que “faz vaquinha”, em pix, para o capitão pagar multas judiciais.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Um capitão que abandona a tropa. Artigo de Edelberto Behs - Instituto Humanitas Unisinos - IHU