Palestina. “Aqui é uma prisão a céu aberto”, diz pároco latino de Gaza

Mais Lidos

  • “Com Francisco cumpre-se a profecia de Arrupe”. Entrevista com Pedro Miguel Lamet

    LER MAIS
  • Somos todos aspirantes a cristãos. Entrevista com Paolo Ricca

    LER MAIS
  • Wim Wenders, Dias Perfeitos – 2023. Artigo de Faustino Teixeira

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

21 Dezembro 2022

Padre Romanelli conta à Tv2000 no documentário A Fronteira da Esperança as dificuldades dos cristãos na Faixa de Gaza. Um conto de Natal sobre o frágil fio de quem vive o drama de um conflito permanente, da falta de liberdade e da separação dos entes queridos. Transmissão no sábado, 24 de dezembro, às 17h30 e no domingo, 1º de janeiro, às 9h20.

A reportagem foi publicada por Tv2000, 20-12-2022. A tradução é de Luisa Rabolini.

“Gaza é uma grande prisão a céu aberto. A maioria dos habitantes é jovem e nunca saiu daqui”. O pároco latino de Gaza, padre Gabriel Romanelli, conta isso no documentário da Tv2000, A Fronteira da Esperança, produzido pela correspondente de Jerusalém, Alessandra Buzzetti, que será transmitido no sábado, 24 de dezembro, às 17h30 e no domingo, 1º de janeiro, às 21h20.

Gaza-Belém é uma viagem só de ida para muitos cristãos que fugiram da Faixa de terra mais blindada e populosa do mundo, teatro de guerra há mais de 15 anos. Para sair da barreira israelense, é necessária uma autorização especial, sempre temporária. Aqueles que decidem se mudar para outras cidades palestinas vivem suspensos e separados de suas famílias por anos.

"Nos últimos anos, as autoridades israelenses", continua Romanelli no documentário da Tv2000, "não costumam conceder autorizações. Graças a Deus, no ano passado, eles concederam um número muito alto: 722 licenças para os cristãos. Muitas são famílias inteiras e apenas cinco pessoas ficaram fora de Gaza".


"Aqui", acrescenta o pároco latino de Gaza, "eu tento criar um oásis para todos os cristãos. Eles vivem de forma muito simples, sabem o que significa ser cristão e isso é uma lição para nós, ocidentais. Não sabemos o que significa sofrer pelo nome de Cristo".

A Fronteira da Esperança é um conto de Natal sobre o frágil fio de quem vive o drama do conflito permanente, da falta de liberdade e da separação dos entes queridos, sem perder a esperança que nasce e se renova na gruta de Belém.

É a experiência de Marcel e suas três filhas. Elas deixaram Gaza no Natal de 2019 e nunca mais voltaram. Yousef, o chefe da família, permaneceu na Faixa e não pôde mais sair desde então. As câmeras da TV2000 acompanharam o cotidiano dessa família cristã dividida entre a cidade de Gaza e Belém.

"Durante um bombardeio", conta Yousef à Tv2000, "eu disse à minha mulher: vai embora com as meninas. Quando elas deixaram Gaza eu respirei aliviado, elas estavam fora de perigo, mas depois de um tempo eu disse a mim mesmo: o que eu fiz? Onde estão minhas filhas? Eu preciso delas perto de mim. Deixe-me abraçá-las, mesmo que seja apenas por uma hora".

"Entramos legalmente", explica Marcel, esposa de Yousef, "com uma autorização. Quando expira para a Autoridade Palestina, continuamos migrantes internos, mas para Israel nos tornamos ilegais. Também é perigoso para nós nos mudarmos de uma cidade palestina para outra. Se os militares israelenses nos param, corremos o risco de sermos mandadas de volta para Gaza e nunca mais podermos sair".

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Palestina. “Aqui é uma prisão a céu aberto”, diz pároco latino de Gaza - Instituto Humanitas Unisinos - IHU