A traição dos pais

Mais Lidos

  • No meio do caminho estava o CIMI: 50 anos do documento-denúncia “Y-Juca-Pirama” e a atuação do Pe. Antônio Iasi Jr, SJ

    LER MAIS
  • Frente à carnificina, testemunhar. O quê? Uma resposta do cristianismo de libertação. Artigo de Jung Mo Sung

    LER MAIS
  • Católicos versus Evangélicos no Brasil: “guerra de posição” x “guerra de movimento”. Artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

18 Novembro 2021

 

“Uma das funções da paternidade consiste em moderar a rivalidade fraterna”, destaca o psicanalista Gérard Haddad, e “o declínio dos valores patriarcais tem como consequência o enfraquecimento desta temperança e a exacerbação das tensões fraternas". De 1968 em diante, a sociedade contestou, minou, corroeu os valores patriarcais, graças a Deus, mas não parece equipada para administrar as tensões fraternas que podem surgir. A Igreja compartilha uma provação semelhante.

 

O comentário é de Iacopo Scaramuzzi, publicado pela coluna Gazzetta Santa Marta, mensal Jesus, novembro de 2021. A tradução é de Luisa Rabolini.

 

La trahison des pères

 

A jornalista Céline Hoyeau de La Croix dedicou à "traição dos pais" uma investigação aprofundada sobre as associações católicas fundadas na França por líderes carismáticos após o Concílio Vaticano II (Bayard, 2021). Esses mestres espirituais suscitaram uma forte atração porque pareciam a determinado número de católicos, desorientados pela novidade conciliar, como os garantidores da tradição, anteparo contra a secularização. Protegidos por esse halo, eles acumularam um poder do qual abusaram amplamente.

Ainda há muita verdade a ser descoberta, mas vários desses "pais" foram desmascarados. O Papa Francisco quer cristãos “responsáveis e adultos, que pensam, questionam a própria consciência e se deixam questionar”, como disse recentemente. Regulamentou, não sem despertar amplo descontentamento, os mecanismos de representação interna das associações laicais onde se insinuaram “abusos de vária natureza”, disse, “que sempre encontram raiz no abuso de poder”. A paternidade sufoca os filhos se for patronal. É diferente que nas comunidades, nas paróquias e nos episcopados os irmãos, finalmente livres, tratem-se com uma fraternidade... diferente daquela de Caim e Abel.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

A traição dos pais - Instituto Humanitas Unisinos - IHU