Greta, uma Antígona que luta contra as leis dos adultos

Mais Lidos

  • “O mundo da educação foi sobrecarregado e perturbado pelo surgimento do ChatGPT”. Discurso do cardeal José Tolentino de Mendonça

    LER MAIS
  • O “Filioque” e a história. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • Genocídio Yanomami em debate no IHU. Quanta vontade política existe para pôr fim à agonia do povo Yanomami? Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

30 Setembro 2019

"Nossa casa está pegando fogo", é o grito profético que Greta Thunberg nos repete constantemente e atinge diretamente nosso coração, sem esquecer o forte apelo à ciência. Não é uma metáfora, mas um alarme inquietante que nos faz sentir em perigo, justamente porque ameaça a nossa casa, o lugar onde nos sentimos protegidos e seguros. É por isso que o seu grito de alarme provoca tanto consenso entre os jovens que ainda não construíram sua própria casa, enquanto nos adultos provoca ironias e repulsas porque toca na sensação de segurança pessoal. Como pode uma garota ter a pretensão de acusar o mundo dos adultos de serem surdos e cegos às mudanças climáticas que estão alterando profundamente o habitat terrestre.

O comentário é de Massimo Ammaniti, professor de Developmental Psychopathology, no Departamento de Psicologia e Dinâmica Clínica da Universidade La Sapienza, Roma, publicado por Corriere della Sera, 27-09-2019. A tradução é de Luisa Rabolini.

Mas de quem vem esse grito profético? Ela é uma jovem sueca com um rosto difícil de decifrar, pouco desenvolvida fisicamente e que não exibe os comportamentos convencionais dos adolescentes, camisetas, tênis de marca, tatuagens. Bastava vê-la enquanto falava sobre as mudanças climáticas nas Nações Unidas, uma longa trança no ombro esquerdo, um estilo antiquado que nenhuma garota de sua idade sonharia exibir e uma camisa vermelha com preguinhas, também um tanto fora de moda. Mas seu discurso era quase magnético, dois olhos severos, um tom de voz decidido e acusatório que de vez em quando se quebrava, dando lugar às emoções e ao choro reprimido, incomum nos que sofrem da síndrome de Asperger. Greta é uma figura arquetípica antiga fora do tempo que nos leva de volta aos grandes dramas humanos das tragédias gregas, uma Antígona que luta contra o cinismo e as leis dos adultos, emblematicamente representados pela figura de Trump, pomposo em sua aparência corpulenta e seus cabelos oxigenados.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Greta, uma Antígona que luta contra as leis dos adultos - Instituto Humanitas Unisinos - IHU