Os quatro encontros do Papa Francisco com o Patriarca Ilia II: aquilo que alguns não querem ver e contar

Mais Lidos

  • Genocídio Yanomami em debate no IHU. Quanta vontade política existe para pôr fim à agonia do povo Yanomami? Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS
  • A campanha da Fraternidade 2024. Fraternidade e Amizade Social. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • A primeira pergunta de Deus ao homem foi “Onde você está?”. O Artigo é de Enzo Bianchi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

04 Outubro 2016

Se acompanhamos uma viagem do papa a partir de casa, podem nos escapar muitas coisas. Mas não entendemos por que escapam daqueles que estão entre os jornalistas que acompanham o pontífice. Nestas horas, aconteceu justamente isso em relação à viagem do papa à Geórgia, ao menos com alguns dos operadores da comunicação. Eles não contam o que veem, mas sim o que têm na cabeça de modo preconcebido.

A reportagem é de Luis Badilla, publicada no sítio Il Sismografo, 03-10-2016. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

Foi o que aconteceu com o primeiro encontro entre Francisco e o patriarca no momento da chegada no aeroporto e, depois, no caso do segundo, quando o Santo Padre visitou o patriarcado ortodoxo. Algumas crônicas desses eventos eram apenas fruto dos seus próprios preconceitos (dos autores) e não respeitavam a realidade, as imagens da "verdadeira realidade"; das imagens, dentre outras coisas, vistas por milhões de pessoas.

Embora essas imagens nos faziam ver entre os dois respeito, afeto e diálogo, alguns nos falaram do contrário: frieza, distância, irritação e suspeita. Tudo falso. Depois, após o terceiro encontro desse domingo à noite, na Catedral Patriarcal, nenhuma correção. Não se quis ajustar a pontaria. Continuou-se a escrever sobre supostos tapas, rejeições, separações, e até mesmo alguns falaram de "desastre" sobre esse momento relevante do diálogo ecumênico.

Agora, depois do quarto encontro entre Ilia II e o papa, que surpreendentemente foi se despedir de Francisco (não estava previsto!), o que vão escrever esses especialistas vaticanos que, obviamente, nem sequer analisaram os quatro discursos, dois do Santo Padre e dois do patriarca?

Leia mais:

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Os quatro encontros do Papa Francisco com o Patriarca Ilia II: aquilo que alguns não querem ver e contar - Instituto Humanitas Unisinos - IHU