Crisma com o rito antigo? "Uma idiotice!", segundo cardeal Lehmann

Mais Lidos

  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • Garimpo e barbárie: uma história de genocídio e de luta dos Yanomami. Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS
  • Fogo atinge floresta da TI Yanomami e Hutukara pede providências

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

27 Mai 2011

"O fato de haver quem queira hoje a celebração da crisma com o rito antigo eu considero uma estupidez". Quem usou justamente a palavra "estupidez"ou "idiotice" (Blödsinn) foi o cardeal Karl Lehmann (foto), bispo de Mainz, na Alemanha, ex-presidente da Conferência Episcopal Alemã, recentemente confirmado na liderança da diocese (ele completou 75 anos).

A nota é de Andrea Tornielli, publicada em seu blog Sacri Palazzi, 26-05-2011. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

A informação foi dada pela agência católica alemã Kath.net. "O cardeal disse isso – afirma a notícia da agência – respondendo a uma questão colocada no âmbito da página dos leitores do Allgemeine Zeitung".

É verdade que , continua afirmando a nota do Kath.net, não quer refutar completamente a permissão de celebrar no rito extraordinário, porque, "mesmo na nossa diocese, há cinco ou seis lugares para celebrar no rito extraordinário".

No entanto, no que diz respeito à confirmação: "Eu não vou fazer isso. Vocês terão que se dirigir a um outro endereço!".

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Crisma com o rito antigo? "Uma idiotice!", segundo cardeal Lehmann - Instituto Humanitas Unisinos - IHU