Dieese: 40% dos reajustes concedidos no 1º tri foram abaixo da inflação

Mais Lidos

  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • A 'facisfera' católica: jovens sacerdotes ultraconservadores que rezam no YouTube pela morte do Papa Francisco

    LER MAIS
  • Garimpo e barbárie: uma história de genocídio e de luta dos Yanomami. Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

25 Abril 2022

 

O boletim mensal “De Olho nas Negociações”, divulgado nesta terça-feira (19) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), aponta que 52% dos 231 acordos e convenções coletivas fechados em março deste ano tiveram reajustes abaixo da inflação calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que chegou a 10,8% no acumulado de 12 meses. Levando em conta o primeiro trimestre do ano, 39,9% dos reajustes salariais concedidos no ano foram abaixo da inflação.

 

A reportagem é de Luís Gomes, publicada por Rede Brasil Atual, 20-04-2022.

 

O boletim, que analisa os acordos e convenções trabalhistas registrados no Ministério do Trabalho e Previdência, indica que 51,9% dos acordos fechados em março foram abaixo do INPC, 34,2% foram iguais ao índice de 13,9% acima, ou seja, tiveram ganho real.

Já nos 1.771 acordos firmados no primeiro trimestre, 39,9% tiveram reajustes abaixo do INPC, 30,9% iguais e 29,2% acima. Pelos cálculos do Dieese, a massa salarial dos trabalhadores que receberam reajuste no período variou negativamente em 0,49% ante a inflação.

Na análise por setor econômico, o setor da indústria foi aquele com o maior número de acordos acima da inflação. Dos 578 reajustes concedidos para trabalhadores da indústria, 33,7% foram acima do INPC, 33,9% foram iguais e 32,4% abaixo. No setor de serviços, que teve 1.029 reajustes no primeiro trimestre, 29,4% deles foram acima, 26,6% iguais e 43,9% abaixo do INPC. No setor de comércio, que teve 164 reajustes, 12,8% foram acima, 53% iguais e 34,1% abaixo do INPC.

Na análise por região, os três estados do sul foram aqueles com o menor número de reajustes abaixo da inflação, com 27,4% dos 387 acordos firmados entre janeiro e março. Contudo, também foi aquela com o maior número de acordos equivalentes ao INPC, 48,1%. Os demais 24,5% foram acima da inflação. A região com o maior número de reajustes acima da inflação foi a Sudeste, com 41,9%. Já os piores índices foram registrados na região Centro-Oeste, que teve o maior número de acordos abaixo da inflação (62,7%) e o menor acima (17,8%).

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Dieese: 40% dos reajustes concedidos no 1º tri foram abaixo da inflação - Instituto Humanitas Unisinos - IHU