Defesa suspende operação contra garimpo em terras indígenas no Pará

Mais Lidos

  • Católicos cínicos e a negatividade em relação ao Papa Francisco. Artigo de Massimo Faggioli

    LER MAIS
  • Influenciadores ou evangelizadores digitais católicos? Artigo de Dom Joaquim Mol

    LER MAIS
  • Campanha da Fraternidade 2024: Fraternidade e Amizade Social. Artigo de José Geraldo de Sousa Junior e Ana Paula Daltoé Inglêz Barbalho

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

10 Agosto 2020

Um dia após a visita do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, à região, o Ministério da Defesa resolveu suspender as operações contra garimpo na Terra Indígena Munduruku, no sudoeste do Pará. Na manhã de quarta-feira (05), após sobrevoar áreas de garimpo com jornalistas, Salles foi até Jacareacanga, onde se encontrou com garimpeiros que reivindicavam o fim das operações de repressão ao crime ambiental na região. Nesta quinta-feira (06), o Ministério da Defesa, que comanda a Operação Verde Brasil 2, anunciou a suspensão da operação “para reavaliação”.

A reportagem é de Daniele Bragança, publicada por ((o))eco, 06-08-2020.

Procurados, o Ministério da Defesa informou que uma delegação de representantes da região “está a caminho de Brasília, em uma aeronave da Força Aérea Brasileira, para reuniões com autoridades do Governo Federal” e que a operação na Amazônia Legal “continua em andamento”.

O ministro Ricardo Salles publicou no Twitter um vídeo sobre o sobrevoo realizado ontem:

A interrupção da operação deixou o Grupo Especializado de Fiscalização (GEF) do Ibama em terra, proibido de usar os helicópteros do Ministério da Defesa. “O Ibama teve que engolir a Verde Brasil para fazer os trabalhos de helicóptero dentro de Terra Indígena”, explica uma fonte da área ambiental federal, em conversa com ((o))eco.

“Mas então, essa do Exército, eu acho interessante que eles estão com uma proposta bem clara de fazer algo forte, intenso, pra inglês ver. O governo organizou pra ter essa tal de Verde Brasil com protagonismo necessário deles e eles com a expertise de não fazer nada e ficar enrolando dizendo que estão fazendo, que é o que eles sabem fazer melhor. E de quebra queima toda a grana que deveria ir para a fiscalização do Ibama e passa a ir pra essa micareta. Gasta o dinheiro. Faz alarde que vão aparecer e não atrapalha ninguém que, como diz o Bolsonaro, ‘está trabalhando’”.

Atualização

Agora a noite, o Ministério da Defesa enviou a seguinte nota para a redação:

O Ministério da Defesa (MD) informa que as operações nas terras indígenas Munduruku, no âmbito da Operação Verde Brasil 2, foram suspensas, nesta quinta-feira (05AGO), para avaliação de resultados, atendendo à solicitação dos indígenas.

A suspensão buscou, ainda, permitir o deslocamento de representantes dos indígenas para Brasília, DF, em aeronave da C-95 da Força Aérea Brasileira, para realização de encontro no Ministério do Meio Ambiente (MMA), onde puderam apresentar seus pleitos e preocupações.

O regresso dos representantes dos indígenas, também em aeronave da Força Aérea Brasileira, está previsto para amanhã.

Ressalta-se que a Operação Verde Brasil 2 permanece ativa e atuante em toda Amazônia Legal.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Defesa suspende operação contra garimpo em terras indígenas no Pará - Instituto Humanitas Unisinos - IHU