Um bispo do Texas se opõe à construção do muro de fronteira com o México nas terras de sua diocese

Mais Lidos

  • “O mundo da educação foi sobrecarregado e perturbado pelo surgimento do ChatGPT”. Discurso do cardeal José Tolentino de Mendonça

    LER MAIS
  • O “Filioque” e a história. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • Genocídio Yanomami em debate no IHU. Quanta vontade política existe para pôr fim à agonia do povo Yanomami? Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

05 Novembro 2018

Corajosa decisão de um bispo texano de se opor a que terras de sua diocese sejam usadas para construir o polêmico muro fronteiriço de Trump. Depois que funcionários federais solicitaram acesso a propriedades da diocese de Brownsville com o objetivo de avaliar sua idoneidade para abrigar tal estrutura, o bispo Daniel E. Flores declarou que deixar que se construa tal barreira "seria um sinal contrário à pastoral" da Igreja.

A informação é publicada por Religión Digital, 02-11-2018. A tradução é de Graziela Wolfart.


A construção de um muro fronteiriço limitaria a missão pastoral do bispo

Em um comunicado, o bispo Flores explicou que "participou pessoalmente de várias conversações cordiais com funcionários federais" sobre a possível expropriação de propriedades da diocese no condado de Hidalgo.

A diocese explicou que "o bispo tem um grande respeito pela responsabilidade dos homens e mulheres que se ocupam com a segurança das fronteiras, mas a propriedade da Igreja não deve ser utilizada para construir um muro de fronteira, já que tal estrutura limitaria a liberdade para exercer sua missão no Vale do Rio Grande e seria um sinal contrário a sua pastoral". O Governo federal já comunicou sua decisão de processar a diocese de Brownsville por esta postura de seu bispo.

 

A Igreja é um refúgio seguro para os migrantes

Os terrenos suscetíveis à inspeção se estendem por 64 hectares e estão localizados ao sul da Academia [Escola] Juan Diego em um terreno pantanoso próximo à fronteira sul e em uma área conhecida como La Lomita. Na realidade, para a eventual construção do muro deveriam ser utilizados somente dois hectares, que seriam reembolsados, mas este não é um argumento relevante para a diocese.

"Nesta disputa há muito mais do que parece", declarou Kevin Appleby, do Centro de Estudos sobre Migração de Nova York, falando com jornalistas do Catholic News Service. "A Igreja tem sido considerada tradicionalmente um porto seguro para os imigrantes, tem defendido constantemente seus direitos e, em geral, se opõe a um muro de fronteira", explicou Appleby, "de fato, o governo também está enviando uma mensagem política e o bispo tem todas as razões para combatê-la".

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Um bispo do Texas se opõe à construção do muro de fronteira com o México nas terras de sua diocese - Instituto Humanitas Unisinos - IHU