Aquecimento do ar amplia o degelo na Groenlândia

Mais Lidos

  • O Novo Ensino Médio e as novas desigualdades. Artigo de Roberto Rafael Dias da Silva

    LER MAIS
  • “Um Netanyahu em plena fuga para a frente vai responder ao Irã, e apenas os EUA podem evitar o pior”

    LER MAIS
  • Elon Musk e o “fardo do nerd branco”

    LER MAIS

Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

19 Outubro 2022

 

A camada de gelo da Groenlândia pode ser mais vulnerável às mudanças climáticas do que se pensava anteriormente, sugere uma nova pesquisa.

 

A reportagem é de Universidade de Edinburgo, publicada por Nature GeoScience, com apoio de UK Natural Environment Research Council e de US National Science Foundation, e republicada por EcoDebate, 18-10-2022. A tradução é de Henrique Cortez.

 

O aumento da temperatura do ar amplifica os efeitos do derretimento causado pelo aquecimento dos oceanos, levando a uma maior perda de gelo da segunda maior camada de gelo do mundo, revela um estudo.


Embora estudos anteriores tenham mostrado que o aumento da temperatura do ar e do oceano causa o derretimento da camada de gelo da Groenlândia, o novo estudo revela como um intensifica os efeitos do outro.

 

Derretimento mais rápido


Especialistas comparam o efeito à forma como os cubos de gelo derretem mais rapidamente se estiverem em uma bebida que está sendo mexida – a combinação de líquido mais quente e movimento acelera sua morte.

 

Na Groenlândia, a amplificação ocorre quando as temperaturas do ar quente derretem a superfície da camada de gelo, gerando água derretida.

 

A água derretida que flui para o oceano cria turbulência que resulta em mais calor derretendo as bordas da camada de gelo submersa no oceano – o chamado derretimento submarino.

 

Efeitos de aquecimento


Pesquisadores das Universidades de Edimburgo e Califórnia San Diego avaliaram o derretimento submarino da camada de gelo da Groenlândia – que cobre mais de 650.000 milhas quadradas – durante um período de 40 anos, de 1979 a 2018.

 

Para determinar o impacto do aquecimento do ar e dos mares na perda da camada de gelo, eles usaram dados observacionais e modelagem computacional para analisar o efeito que cada um teve no derretimento submarino.

 

Diferenças regionais


A equipe descobriu que a temperatura do ar teve quase tanto impacto quanto a temperatura do oceano no derretimento submarino, com algumas variações regionais.

 

Por exemplo, a temperatura do oceano é o principal fator que controla o derretimento submarino no sul e no centro-oeste da Groenlândia, enquanto o aquecimento atmosférico é igualmente prejudicial no noroeste da ilha.

 

As descobertas sugerem que, se a atmosfera não tivesse aquecido desde 1979, o recuo das geleiras da Groenlândia, impulsionado pelo derretimento submarino, poderia ter sido reduzido pela metade na região noroeste e por um terço na Groenlândia como um todo.

 

O efeito que investigamos é um pouco como cubos de gelo derretendo em uma bebida – cubos de gelo obviamente derreterão mais rápido em uma bebida quente do que em uma bebida fria, portanto, as bordas do manto de gelo da Groenlândia derretem mais rápido se o oceano estiver mais quente. Mas os cubos de gelo em uma bebida também derreterão mais rápido se você mexer a bebida, e o aumento da temperatura do ar na Groenlândia resulta efetivamente em uma agitação do oceano perto da camada de gelo, causando um derretimento mais rápido da camada de gelo pelo oceano. Infelizmente, isso se soma ao esmagador corpo de evidências que mostram a sensibilidade da camada de gelo da Groenlândia às mudanças climáticas, daí a necessidade de ação urgente para reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

 

Referência

 

D. A. Slater, F. Straneo. Submarine melting of glaciers in Greenland amplified by atmospheric warming. Nature Geoscience, 2022. Disponível aqui.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Aquecimento do ar amplia o degelo na Groenlândia - Instituto Humanitas Unisinos - IHU