Ondas de calor na Ásia se intensificaram em duração e frequência

Mais Lidos

  • “Com Francisco cumpre-se a profecia de Arrupe”. Entrevista com Pedro Miguel Lamet

    LER MAIS
  • Às leitoras e aos leitores. Sobre o envio da Newsletter

    LER MAIS
  • Somos todos aspirantes a cristãos. Entrevista com Paolo Ricca

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

28 Julho 2022

 

Descritas como períodos de temperaturas excessivamente altas, as ondas de calor têm um impacto devastador na vida humana, na agricultura e nos recursos hídricos.

 

As condições climáticas e atmosféricas podem levar a dois tipos de ondas de calor: as ondas de calor secas ocorrem quando o céu está limpo, expondo a área a grandes quantidades de radiação solar, enquanto as ondas de calor úmidas ocorrem quando o vapor de água retém o calor devido a condições nubladas e úmidas. Devido aos efeitos do aquecimento global, esses eventos têm se tornado mais intensos e frequentes nos últimos anos.

 

A reportagem é publicada pela Pusan National University e reproduzida por EcoDebate. A tradução é de Henrique Cortez, 27-07-2022.

 

Com as simulações climáticas prevendo ondas de calor mais frequentes e intensificadas com o aumento das emissões de gases de efeito estufa, torna-se importante mapear regiões vulneráveis para que planos adequados possam ser feitos para lidar com elas no futuro.

 

Agora, em um estudo publicado na Climate and Atmospheric Science, uma equipe de pesquisadores internacionais liderada pelo professor Kyung-Ja Ha, da Pusan National University, na Coréia do Sul, analisou a prevalência dos dois tipos de ondas de calor no leste da Ásia. Usando dados climáticos históricos, eles determinaram pela primeira vez como e onde essas ondas de calor se formam e também previram a ocorrência de ondas de calor no futuro sob diferentes cenários de emissão de gases de efeito estufa.

 

De acordo com seu estudo, as ondas de calor secas ocorrem principalmente no noroeste da Ásia Oriental, enquanto as ondas de calor úmidas são predominantes no sul da Ásia Oriental. Observou-se que essas ondas de calor se intensificaram em duração e frequência nos últimos 60 anos (1958-2019). A equipe de pesquisa descobriu que essas ondas de calor tendem a ser frequentes sob condições atmosféricas favoráveis em larga escala, que variam para ondas de calor secas e úmidas. “Na onda de calor secoregiões, anticiclônica, que é a circulação no sentido horário, é amplificada após o início das ondas de calor sob a influência da convergência do fluxo de atividade de ondas anômalas sobre o norte da Ásia Oriental. Isso resulta em aquecimento da superfície através de processos adiabáticos. Em contraste, as ondas de calor úmidas são desencadeadas pelas anomalias de circulação anticiclônica geradas localmente, e o aquecimento da superfície nesses casos é amplificado pelo feedback de nuvens e vapor d’água”, explica o Prof. Ha.

 

Os pesquisadores então analisaram como os aumentos nas emissões de gases de efeito estufa afetariam as ondas de calor. As simulações revelaram ondas de calor secas mais frequentes e ondas de calor úmidas mais duradouras, mesmo quando as emissões de gases de efeito estufa foram mantidas no mínimo para limitar o aumento da temperatura a 1,5°C, sugerindo a necessidade de reduções adicionais nas emissões de gases de efeito estufa para evitar condições severas de ondas de calor.

 

Estudar as ondas de calor por seus tipos é essencial, pois esses eventos se formam sob diferentes condições e levam a diferentes resultados. “Espera-se que o aumento das ondas de calor secas danifique a agricultura, enquanto as ondas de calor úmidas podem ser extremamente prejudiciais ao corpo humano”, adverte o Prof. Ha. A identificação de regiões vulneráveis pode ajudar os órgãos governamentais no desenvolvimento de estratégias que irão mitigar os impactos das ondas de calor severas. Isso envolve planejar o aumento do uso de eletricidade em locais com risco de ondas de calor úmidas e gerenciar o abastecimento de água em regiões suscetíveis a ondas de calor secas.

 

A categorização e caracterização das ondas de calor podem ajudar a humanidade a planejar adequadamente as condições climáticas catastróficas, sugere um novo estudo de pesquisadores da Universidade Nacional de Pusan (Foto: Universidade Nacional de Pusan)

 

Referência

 

Ha, KJ., Seo, YW., Yeo, JH. et al. Dynamics and characteristics of dry and moist heatwaves over East Asia. npj Clim Atmos Sci 5, 49 (2022). Disponível aqui.

 

Leia mais

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Ondas de calor na Ásia se intensificaram em duração e frequência - Instituto Humanitas Unisinos - IHU