Bispo propõe levar padres casados para suprir déficit em área do PA

Mais Lidos

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

28 Novembro 2014

Apesar de o catolicismo ser a religião com mais adeptos no Brasil, atingindo 64,6% da população segundo dados do IBGE/2010, o a maior área ecleciástica do país e da América Latina, a região Xingu, no Pará, não tem padres suficientes para atender as demandas das comunidades. De acordo com o bispo Dom Erwin Kräutler, são apenas 27 padres para cobrir as 800 comunidades espalhadas em um território de 365 mil quilômetros quadrados.

A informação é publicada por G1, 28-11-2014.

O problema levou Kräutler a apresentar ao Papa Francisco, no Vaticano, a possibilidade de padres casados atuarem nessas localidades excluídas. Pelas regras da Igreja Católica, quem decide se casar não deixa de ser padre, mas perde o direito de celebrar alguns rituais da religião.

"Não se trata de opor-se ao celibato de quem tiver feito essa opção consciente e madura. Trata-se da Eucaristia e da escolha de pessoas que seriam ordenadas para presidi-la", afirma o bispo. "Torna-se urgentemente necessário criar estruturas em nossa Igreja para que os 70% de comunidades, que hoje estão excluídas da celebração eucarística dominical, possam participar da fração do pão”, afirma.

"Causa-nos uma profunda dor ver milhares de [pessoas das] nossas comunidades excluídas da eucaristia dominical. A maioria delas só tem a graça de celebrar o Memorial da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor uma, duas ou três vezes ao ano", explica o bispo.

Para o religioso, a condição de pai de família não interfere na atuação como padre. "Do ponto de vista teológico não há nenhum óbice [obstáculo] a pessoas que presidem a Eucaristia exercerem durante a semana sua profissão e serem pais de família. Esta, inclusive, é a tese do bispo emérito de uma diocese da África do Sul, Dom Fritz Lobinger", esclarece Dom Erwin.

A situação da região foi apresentada ao Papa Francisco em uma audiência particular no dia 4 de abril. "Por enquanto não se trata de uma proposta, mas de um pedido de solução para as nossas comunidades. Naquela oportunidade ele [Papa] pediu que os bispos do Brasil apresentassem propostas concretas e corajosas para serem discutidas a fim de chegarmos a uma solução", afirma o bispo do Xingu.

A questão apresentada primeiramente ao Papa foi exposta no dia 6 de maio de 2014 durante a última Assembleia Geral da CNBB. Dom Erwin acredita que o assunto vai entrar em pauta novamente na próxima Assembleia da CNBB em abril de 2015.

Dom Erwin Kräutler

Bispo da prelazia do Xingu, Dom Erwin Kräutler é austríaco naturalizado brasileiro desde 1978 e há 34 anos atua em favor das comunidades na Amazônia em seu trabalho como religioso. Além de bispo do Xingu, ele é presidente do Conselho Indigenista Missionário (CIMI), organismo vinculado à CNBB.

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Bispo propõe levar padres casados para suprir déficit em área do PA - Instituto Humanitas Unisinos - IHU