Menina fala com papa sobre imigração, e em seguida seu pai é libertado da prisão

Mais Lidos

  • Genocídio Yanomami em debate no IHU. Quanta vontade política existe para pôr fim à agonia do povo Yanomami? Artigo de Gabriel Vilardi

    LER MAIS
  • A campanha da Fraternidade 2024. Fraternidade e Amizade Social. Artigo de Flávio Lazzarin

    LER MAIS
  • A primeira pergunta de Deus ao homem foi “Onde você está?”. O Artigo é de Enzo Bianchi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

31 Março 2014

 Nesta foto, de 26-03-2014, fornecida pela Coalizão Católica dos Direitos dos Imigrantes, o Papa Francisco toca Jersey Vargas, de 10 anos de idade, que viajou de Los Angeles ao Vaticano para pedir ao religioso que a ajudasse a evitar que seu pai fosse deportado, durante uma audiência pública na Praça de São Pedro, na Cidade do Vaticano. O pai, Mario Vargas, que está ilegal nos Estados Unidos, estava em custódia federal e enfrentava uma possível deportação. Após falar com o papa, Mario Vargas foi solto sob fiança, disse na sexta-feira o Serviço de Imigração e Controle Alfandegário americano no último dia 28. Jersey Vargas fazia parte de uma delegação da Califórnia que procurou incentivar o Vaticano a pressionar o presidente Obama tendo em vista a reforma de imigração.

Foto: Coalizão Católica dos Direitos dos Imigrantes / Associated Press

Depois que uma menina da Califórnia, de 10 anos, viajou até o Vaticano para suplicar ao Papa Francisco uma ajuda, uma vez que seu pai enfrentava um processo de deportação, o homem foi solto na sexta-feira sob fiança.

A informação é publicada por The Washington Post, 29-03-2014. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

Mario Vargas foi libertado de um centro de detenção no estado da Louisiana após pagar fiança de 5 mil dólares. Um parente que viu a menina na televisão pedindo auxílio ao papa durante uma audiência pública ajudou no pagamento, disse sua esposa, Lola Vargas.

“Quando ela viajou, o seu desejo era que seu pai estivesse em casa”, falou em espanhol à agência noticiosa Associated Press. “Graças a Deus ela terá o seu desejo realizado”.

A libertação de Mario Vargas veio após sua filha Jersey, da cidade de Panorama, Califórnia, ter se dirigido ao papa nesta semana como parte de uma delegação americana que viajou para pedir ao Vaticano falar com o presidente Obama sobre a questão da imigração e sua reforma. A menina e uma adolescente faziam parte de um grupo de 16 pessoas; elas representaram as filhas e os filhos americanos de pais imigrantes que têm medo de que suas famílias venham a ser divididas pela deportação. O presidente e o pontífice se encontram pela primeira vez na quinta-feira.

“Eu me senti muito feliz e orgulhosa porque eu finalmente vou ter meu pai de volta e nós ficaremos unidos novamente”, disse Jersey à Associated Press na sexta-feira antes de embarcar num voo de Roma a Los Angeles.

Falou também que seu pai estava indo para Los Angeles e que esperava que seu pai chegasse antes dela no sábado.

“Faz dois anos que nós não nos vemos”, falou. “Tem sido muito difícil, já que meu pai não está em casa. Minha mãe teve que ser o provedor de tudo; ela foi mãe e pai durante estes dois anos”.

Mario Vargas foi detido no ano passado no Tennessee e condenado por dirigir embriagado antes de ter sido levado, no início deste mês, à custódia federal, disse Bryan Cox, porta-voz do Serviço de Imigração e Controle Alfandegário. Ele foi libertado após fiança, e um juiz de imigração irá determinar o resultado deste caso de deportação, informou Cox.

Lola Vargas afirmou que vinha juntando dinheiro para pagar pela fiança de seu marido mexicano, mas que não tinha o suficiente até que um de seus primos lhe telefonou, surpreso ao ver a menina na televisão, e ofereceu ajuda. Seu parceiro havia ido ao Tennessee por causa do trabalho (construção civil) e vinha mandando dinheiro para sua família na Califórnia.

Uma mensagem deixada para o advogado de Vargas, Alex Galvez, na busca de mais informações ainda não obteve resposta.

Juan José Gutierrez, defensor imigrante que coordenou a viagem à Itália, disse a que arquidiocese de Los Angeles ajudou fazendo com que o grupo pegasse um lugar central de forma que os membros pudessem falar ao Papa Francisco em meio à multidão.

Veja também:

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Menina fala com papa sobre imigração, e em seguida seu pai é libertado da prisão - Instituto Humanitas Unisinos - IHU