Empresas mundiais desenvolvem software no Sul

Mais Lidos

  • Influenciadores ou evangelizadores digitais católicos? Artigo de Dom Joaquim Mol

    LER MAIS
  • Para onde estamos indo? Artigo de Leonardo Boff

    LER MAIS
  • Os equilíbrios de Lula no Brasil pós-Bolsonaro. Artigo de Bernardo Gutiérrez

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

15 Janeiro 2012

A Lei de Informática tem como primeiro objetivo o incentivo à produção local de computadores e celulares. Ela iguala as condições tributárias, para o restante do País, que essas empresas teriam na Zona Franca de Manaus.

A reportagem é de Renato Ortiz e publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo, 15-01-2012.

Mas, com a exigência de se investir cerca de 4% do faturamento em atividades de pesquisa e desenvolvimento, acabou fazendo com que gigantes mundiais do setor instalassem no Brasil centros de software e serviços.

É o caso das americanas Dell e HP, que instalaram seus centros no Tecnopuc, em Porto Alegre, e hoje investem neles mais do que a exigência da Lei de Informática. Esses centros não são voltados somente para o mercado local. Eles desenvolvem software usado mundialmente pelas empresas, tanto internamente quanto em seus produtos.

O caso da SAP, que criou um centro em São Leopoldo, no Tecnosinos, é diferente. A empresa alemã de sistemas de gestão não tem benefícios da Lei de Informática, que é voltada para equipamentos. Ela acabou decidindo criar o centro no País pela importância do mercado local e pela disponibilidade de pessoal qualificado na região.

"O Brasil é o terceiro maior mercado para a SAP", afirmou Ricardo Cruz, gerente do SAP Labs Latin America. O primeiro prédio do laboratório foi instalado em 2009, com 7,3 mil metros quadrados e investimento de 14,8 milhões. Atualmente, ele emprega cerca de 520 pessoas.

A SAP aprovou, no fim do ano passado, o projeto de expansão do SAP Labs, com a construção de mais um prédio de 7,8 mil metros quadrados e capacidade para mais 550 pessoas. O segundo prédio deve ficar pronto no primeiro semestre do ano que vem.

Existem 15 laboratórios da SAP do mundo. Fundado em 2006, o brasileiro foi o primeiro no hemisfério sul. Em 2004, quando a empresa começou a estudar onde instalaria a unidade que acabou em São Leopoldo, o Brasil teve de competir com outros países, como México, Argentina, China e Bulgária.

Além de atender a América Latina, com localização, desenvolvimento e suporte, o SAP Labs Latin America também presta serviços para os Estados Unidos, Portugal, Espanha e Itália.

Produtos

O centro de pesquisa e desenvolvimento da HP Brasil, em Porto Alegre, criou o ePrint, serviço hoje disponível na linha mundial de impressoras da empresa. Com esse recurso, é possível imprimir um documento a partir de um dispositivo móvel, como um smartphone ou um tablet.

"A impressão em nuvem (como é o caso do ePrint) já existia nos HP Labs como ideia", explicou Cirano Silveira, diretor de pesquisa e desenvolvimento da HP Brasil. "Nosso objetivo é levar a tecnologia para o mercado. Criamos a prova de conceito e a primeira versão para BlackBerry. Agora também existem as versões para Android e iOS (iPhone e iPad)."

Nos últimos cinco anos, a HP investiu R$ 230 milhões em atividades de pesquisa e desenvolvimento no País. A empresa tem convênios com 15 universidades e centros de pesquisa, em nove Estados. Incluindo o próprio centro e os parceiros, cerca de 700 profissionais trabalham nos projetos da HP no País.

A concorrente Dell instalou seu centro de tecnologia em Porto Alegre em 2001. "Este é um centro de tecnologia para o mundo", afirmou Felipe Soares, diretor de tecnologia da informação da Dell. "Fomos o primeiro fora dos Estados Unidos, motivados pela Lei de Informática. Nove meses depois do Brasil, foi aberto o centro da Índia." Atualmente, existem dois na Índia e um na Malásia.

O centro brasileiro cuida da loja online global da Dell. Além disso, as atividades de contabilidade, contas a pagar e a consolidação das contas mundiais da empresa são feitas por aqui. "Não foi fácil", disse Soares. "O Brasil não tinha histórico na área de desenvolvimento."

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Empresas mundiais desenvolvem software no Sul - Instituto Humanitas Unisinos - IHU