Teólogos espanhóis se somam ao manifesto alemão por diálogo na Igreja

Mais Lidos

  • As responsabilidades das Forças Armadas no golpe. Artigo de Jean Marc von der Weid

    LER MAIS
  • Terra Yanomami tem 363 mortes registradas no 1º ano do governo Lula

    LER MAIS
  • “Gostaria de mais casos de anulação de casamento. Ajuda a curar o sofrimento da separação”, afirma cardeal Zuppi

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

14 Fevereiro 2011

Um grupo de teólogos espanhóis, encabeçado por Evaristo Villar, Julio Lois e Benjamín Forcano, começou a recolher assinaturas entre teólogos e professores católicos de nosso país para depois "fazê-lo chegar às instâncias oportunas", sobre o Manifesto assinado por 144 catedráticos alemães, austríacos e suíços no qual pedem uma profunda reforma no interior da Igreja.

A informação é de Jesús Bastante e está publicada no sítio espanhol Religión Digital, 14-02-2011. A tradução é do Cepat.

A adesão ao memorando Igreja 2011. Necessidade de avançar rumo a um novo começo, se prolongará até o próximo dia 20 de fevereiro, pelo correio eletrônico Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. O texto, partindo dos casos de sacerdotes e religiosos que abusaram sexualmente de menores, incide em que "as pessoas voltarão a confiar na Igreja somente se esta se comunicar abertamente. A Igreja pode tornar-se crível somente se a imagem que projeta para fora coincidir com a imagem que ela tem de si mesma".

"O que diz respeito a todas e todos deve ser decidido por todos e todas", insiste o texto, que reclama "mais estruturas sinodais em todos os níveis da Igreja". "Os fiéis, homens e mulheres, devem participar da nomeação dos ministros ordenados de importância (bispo, pároco)", acrescenta.

O documento também solicita uma releitura do celibato sacerdotal. "A Igreja necessita também de sacerdotes casados e mulheres no ministério ordenado", aponta, assim como a necessidade de "não excluir pessoas que vivem amor, fidelidade e cuidado mútuo em uma relação de casal com pessoas do mesmo sexo ou aqueles divorciados e casados novamente que o vivem de uma maneira responsável".

Finalmente, os teólogos alemães fazem um apelo ao "diálogo aberto" com a hierarquia, e à busca de soluções corajosas em comum. "Por que tendes medo? A vossa fé é tão pequena?"

 

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Teólogos espanhóis se somam ao manifesto alemão por diálogo na Igreja - Instituto Humanitas Unisinos - IHU