Alemanha: novo presidente, Steinmeier, um evangélico comprometido

Mais Lidos

  • Atividade, no formato live, será na terça, 05-03, a partir das 10h

    Influenciadores digitais católicos em debate no IHU

    LER MAIS
  • A identidade de católico, o Papa e o cristianismo de libertação versus a direita. Artigo de Jung Mo Sung

    LER MAIS
  • Francisco: pedi para realizar estudos sobre a ideologia de gênero, o perigo mais feio hoje

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

15 Fevereiro 2017

Depois de Gauck, Steinmeier. A um pastor luterano, segue-se um protestante convicto. O ministro das Relações Exteriores alemão, o social-democrata Frank-Walter Steinmeier, eleito pela assembleia federal alemã como presidente da República, nunca escondeu a sua fé evangélica.

A reportagem é da agência Notizie Evangeliche (NEV), 13-02-2017. A tradução é de Moisés Sbardelotto.

“Ser cristão e fazer política: muitas vezes, reflito sobre o sentido desse binômio”, declarou Frank-Walter Steinmeier às vésperas dos 500 anos da Reforma Protestante à revista Chrismon, caderno das Igrejas evangélicas publicado todos os meses com alguns dos principais jornais alemães. “Como cristão, sou responsável pelas minhas ações, mas também pelas minhas não ações.”

Citando o Evangelho de Mateus sobre o Dia do Juízo (25, 42-45): “Quando foi que te vimos com fome, ou com sede, como estrangeiro, ou sem roupa, doente ou preso, e não te servimos? Na verdade, eu digo a vocês, todas as vezes que não fizeram isso a um desses pequeninos, foi a mim que não o fizeram”, Steinmeier ressaltava a advertência dirigida aos cristãos: “Isto é, não ficar só olhando ou mesmo virar as costas para quem precisa”.

Para Steinmeier, a Reforma, nesse sentido, é uma mudança de perspectiva no relacionamento entre os cristãos e o mundo: “A mensagem de Lutero era clara: misturem-se! A responsabilidade de vocês perante Deus e perante o mundo deve ser levada a sério! É isso que ainda hoje me apaixona da Reforma e de Lutero: o convite a cada indivíduo de lutar aqui e agora em favor do amor e não do ódio, da reconciliação e não do conflito”.

Mas a fé evangélica não é mera participação para Steinmeier, mas também “direcionamento” para o nosso agir: “Ela nos chama a ter convicções e a defendê-las, chama-nos a fazer perguntas e a fazer bom uso da nossa razão. E também nos chama a não perder a paciência”.

Recém-eleito, no seu discurso à assembleia federal, ele exortou a “ter coragem”. “Quando o fundamento da democracia vacila em outros lugares – acrescentou –, então nós devemos permanecer firmes diante desse fundamento”.

O 12º presidente da República Federal da Alemanha tomará posse no dia 19 de março no palácio presidencial, o Schloss Bellevue, em Berlim.

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Alemanha: novo presidente, Steinmeier, um evangélico comprometido - Instituto Humanitas Unisinos - IHU