Francisco, a dor no peito e a internação hospitalar

Mais Lidos

  • “A humanidade abriu as portas do inferno”, alerta António Guterres, secretário-geral da ONU

    LER MAIS
  • Ucrânia: os EUA ameaçam com a guerra total

    LER MAIS
  • Papa Francisco eleva o nível de alarme: “O mundo está nas garras de uma terceira guerra mundial, com a ameaça de armas nucleares”

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

30 Março 2023

O Papa Francisco foi internado no Hospital Gemelli desde ontem à tarde, quarta-feira, após uma doença com problemas cardio-respiratórios que o atingiu antes do almoço em Santa Marta.

No início, a Santa Sé tinha falado de "controles previamente agendados". Um segundo comunicado da noite passada dizia que Bergoglio "nos últimos dias queixou-se de algumas dificuldades respiratórias" e os exames médicos "revelaram uma infecção respiratória - excluindo a infecção por covid 19 - que exigirá alguns dias de terapia médica hospitalar apropriada". O porta-voz Matteo Bruni acrescentou: "Francisco está tocado pelas muitas mensagens recebidas e expressa a sua gratidão pela proximidade e oração".

A informação é de Gian Guido Vecchi, publicada por Corriere della Sera, 30-03-2023.

A reconstrução

Fontes internas em Gemelli e no Vaticano, no entanto, relatam ao Corriere uma manhã mais complicada. Como faz todas as quartas-feiras, Francisco realizou a sua audiência geral na Praça São Pedro, a catequese, a saudação aos fiéis, tudo como de costume, exceto um ar de fadiga, um rosto sério, as suas mãos um pouco inchadas.

De volta a Santa Marta, o papa não se sentiu bem. Da Policlínica falam de problemas cardíacos, bem como de problemas respiratórios. Falam de uma sensação de pressão e dores no peito, dificuldade em respirar. Nada preocupante, dizem eles, mas foi então que acharam boa ideia ir diretamente ao Gemelli para verificar a situação. E o papa foi levado para a policlínica de ambulância para as verificações necessárias, começando pelo departamento de cardiologia. Foi cancelada a gravação de uma entrevista agendada a um programa da RAI, A sua immagine.

Aparentemente Francisco não estava convencido da admissão, mas foi persuadido pelo seu enfermeiro de confiança, Massimiliano Strappetti, 54 anos, que foi nomeado 'assistente de saúde pessoal' do papa no ano passado. Foi o próprio pontífice que contou como aquele enfermeiro tinha "salvo a sua vida" em Julho de 2021, quando Bergoglio foi admitido pela primeira vez no Hospital Gemelli: "Ele disse-me: 'Tens de fazer uma operação'. E isto apesar da opinião contrária daqueles que sugeriram limitar-se à uma terapia antibiótica".

A operação

Francisco foi hospitalizado a 4 de Julho de 2021 durante onze dias e submetido a cirurgia, a remoção de parte do seu cólon para estenose diverticular. Mas foi então diferente, a Santa Sé falou imediatamente de uma hospitalização e cirurgia 'planeada'.

O papa está agora hospitalizado na sala do décimo andar do Gemelli, o chamado "apartamento dos Papas" que já o abrigou há dois anos, o mesmo que também foi ocupado várias vezes por João Paulo II.

Fontes no Gemelli explicam que todos os exames necessários já foram concluídos e que tudo está sob controle. Em particular, o TAC torácico deu um resultado negativo. A saturação de oxigênio do sangue ainda está a ser verificada, e existe uma máquina de análise hemograma na sala. Tem-se falado da possibilidade de realizar uma coronariografia, do risco de fibrilhação atrial.

No entanto, no Gemelli dizem que, mesmo do ponto de vista cardíaco, a situação não causaria "preocupação especial". Na noite passada, Francisco estava melhor, descrevem-no como sendo sereno. Já ontem à tarde o pessoal do Papa e os homens de segurança foram avisados que passariam a noite em Gemelli. Todas as audiências de hoje e de amanhã foram canceladas. Certamente não foi planeada nenhuma hospitalização, na véspera do Domingo de Ramos e das celebrações da Semana Santa de Páscoa, a época mais importante do ano.

Celebrações da Páscoa

Considerando que a internação vai durar "alguns dias", as comemorações do Papa estão em dúvida. O Vaticano se limita a dizer que "foi aberto espaço na agenda para que os controles continuem pelo tempo necessário".

Entre as mensagens que chegam de todo o mundo, a da Conferência Episcopal Italiana - CEI que assegura a oração coral das Igrejas na Itália: "Enquanto deseja ao Santo Padre uma rápida recuperação, a presidência confia ao Senhor os médicos e o pessoal de saúde que, com profissionalismo e dedicação, cuidam dele e de todos os doentes".

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Francisco, a dor no peito e a internação hospitalar - Instituto Humanitas Unisinos - IHU