Frei Carlos Josaphat. In Memoriam

Mais Lidos

  • Varsóvia e Gaza: 80 anos depois, dois guetos e o mesmo nazismo... e a mídia finge não ver o Terror de Estado de Netanyahu. Artigo de Luiz Cláudio Cunha

    LER MAIS
  • A 'facisfera' católica: jovens sacerdotes ultraconservadores que rezam no YouTube pela morte do Papa Francisco

    LER MAIS
  • A fé que ressurge do secularismo e do vírus. Artigo de Tomáš Halík

    LER MAIS

Newsletter IHU

Fique atualizado das Notícias do Dia, inscreva-se na newsletter do IHU


Revista ihu on-line

Zooliteratura. A virada animal e vegetal contra o antropocentrismo

Edição: 552

Leia mais

Modernismos. A fratura entre a modernidade artística e social no Brasil

Edição: 551

Leia mais

Metaverso. A experiência humana sob outros horizontes

Edição: 550

Leia mais

10 Novembro 2020

Ontem, dia 09/11/2020, fez sua passagem o grande pensador dominicano Frei Carlos Josaphat.

Talvez tenha sido de nossos mais brilhantes pensadores no Brasil.

O depoimento é de Faustino Teixeira, teólogo, publicado no seu Facebook.

Frei Carlos Josaphat. (Foto: Reprodução/Facebook)

No período que precedeu o golpe militar, em 1964, teve uma atuação crítica e profética. Foi o fundador do jornal Brasil Urgente. Era dos mais contundentes pregadores na ocasião, e suas missas eram objeto de grande atração da juventude de esquerda. Teve que se exilar na Suíça e ali fez carreira inovadora na Universidade de Friburgo no campo da Moral.

Depois retornou ao Brasil em tempos de mais calmaria e continuou o seu impressionante trabalho de atuação pública e produção acadêmica. Era um dos maiores especialistas em Tomas de Aquino e Bartolomeu de las Casas. Escreveu também um livro precioso sobre o diálogo inter-religioso.

Frei Carlos Josaphat. (Foto: Reprodução/Facebook)

Era um amigo querido e esteve diversas vezes em Juiz de Fora a meu convite. O que mais encantava nele era o sorriso aberto e um otimismo que se irradiava e iluminava a todos. Sempre tinha uma palavra de animação e de esperança.

Frei Carlos Josaphat. (Foto: Reprodução/Facebook)

Ele nasceu em Abaeté, Minas Gerais, em novembro de 1921, e tinha acabado de completar 99 anos no dia 04 de novembro.

Hoje é motivo de alegria e não de tristeza, pois sabemos que ele foi uma presença iluminadora entre nós. Viva o frei Carlos.

 

De Pedro para Carlos, na comemoração dos oitenta anos do grande amigo dominicano...

 

AO PROFETA JOSAPHAT

Querido e venerável e garotão Frei Carlos Josaphat,
filho da senhora dona Emília,
companheiro que sustenta a companheirada,
conversador saboroso como um prato típico de Minas Gerais,
exilado e cosmopolita,
cidadão crítico e eclesiástico livre,
intelectual orgânico do Reino, mestre espiritual,
publicista profético,
doutor em comunicação até para o Primeiro Mundo.
Teólogo de cátedra e de chão, para suíços e para sertanejos.

Passando pelas mãos de Vicente de Paula às mãos de Domingos de Gusmão,
sabes conjugar a misericórdia aberta e jovial com a teologia sólida e avançada,
pregoando o Evangelho,
forjando ontem e hoje o "Brasil urgente",
excomungando "o Sistema desgraçadamente bem feito"
e desmascarando a ideologia desumanas. 

Na contemplação e na libertação,
baralhando serenamente a Moral, o Amor e o Humor,
conjugando as três virtudes e as Três Pessoas,
a Comunhão divina e a Solidariedade humana,
trazendo de volta, para nossa hora,
o Patriarca profeta São Bartolomé de Las Casas

Querido Frei Josaphat,
bíblico de nome e de caminhada,
cabra branca de sabedoria
e coração vermelho de revolução,
fornido "cachorro" dominicano com a tocha da verdade e da liberdade
na boca e na vida:
Benditos sejam teus oitenta anos,
floridos e granosos de qualidade humana e de Reino de Deus!

Pedro Casaldáliga, livro Utopia Urgente

 

Leia mais

Comunicar erro

close

FECHAR

Comunicar erro.

Comunique à redação erros de português, de informação ou técnicos encontrados nesta página:

Frei Carlos Josaphat. In Memoriam - Instituto Humanitas Unisinos - IHU